Capital de Giro e Internacionalização no Desempenho em épocas de crise.

  • Miguel Hernandes Júnior Universidade Federal de Uberlândia - UFU
  • Vinícius Silva Pereira Universidade Federal de Uberlândia - UFU
  • Antonio Sérgio Torres Penedo Universidade Federal de Uberlândia - UFU
  • Cristiano Augusto Borges Forti Universidade Federal de Uberlândia - UFU

Abstract

O objetivo deste artigo foi o de compreender o impacto da gestão do capital de giro e da internacionalização no desempenho das organizações brasileiras em épocas de crise. O tema se torna relevante mediante a crise que o país atravessou em 2015-2016 e que segundo números da economia ainda não foi superada. Para isto, a amostra do estudo teve 723 empresas listadas na B3, e testou-se as hipóteses por meio de modelos econométricos de efeitos fixos pela técnica de regressão de dados em painel. Os achados demonstraram que no caso da interação do capital de giro com a internacionalização, existem dois pontos ótimos a serem perseguidos pela gestão para alcançar o desempenho máximo em épocas de crise das organizações. Como limitações, elenca-se o período curto da análise e o início restrito a 2010 em virtude da ausência de dados. Como implicações para pesquisas futuras, sugere-se analisar e verificar se empresas internacionalizadas de países desenvolvidos possuem a mesma relação com o desempenho constatada nas empresas brasileiras em épocas de crise. A lacuna teórica encontrada, foi que os estudos anteriores não consideraram os efeitos em conjunto da internacionalização como impulsionador e o da crise como redutor do desempenho nas organizações.

Published
May 13, 2020
How to Cite
JÚNIOR, Miguel Hernandes et al. Capital de Giro e Internacionalização no Desempenho em épocas de crise.. Revista de Negócios, [S.l.], v. 25, n. 1, p. 68-90, may 2020. ISSN 1980-4431. Available at: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/rn/article/view/8520>. Date accessed: 18 oct. 2021. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1980-4431.2020v25n1p68-90.
Section
Articles

Keywords

Crise econômica, capital de giro, desempenho, internacionalização