A FORMAÇÃO DAS COMPETÊNCIAS ORGANIZACIONAIS DAS MULTINACIONAIS: ESTUDO DE CASO NUMA MULTINACIONAL BRASILEIRA

Felipe Mendes Borini, Anjeéri Luiz Sadzinski

Abstract


O objetivo desse artigo é analisar os diferentes tipos de competência na multinacional e compreender os fatores que permitem o desenvolvimento e transferência dessas competências. Analisamos a questão estudando o caso de uma multinacional brasileira com larga tradição no mercado externo. O estudo aborda apenas a divisão de Comércio Exterior, uma vez que, os recentes estudos têm ressaltado os papéis das UENs ou divisões, em vez do papel da subsidiária como um todo. O enfoque recai sobre as multinacionais brasileiras por duas razões: são raros os estudos analisando as competências locais, não-locais e específicas de multinacionais oriundas de mercados emergentes; e o entendimento da questão é de suma importância em razão da possibilidade da ‘fuga de competências’, tanto em virtude do contínuo desenvolvimento de novas empresas nacionais em busca da internacionalização, como para a manutenção da competitividade do parque industrial nacional. Os resultados mostram o desenvolvimento de competências não-locais na divisão de Comércio Exterior da matriz impulsionadas sobretudo pelo conhecimento tácito e socialização; enquanto na subsidiária encontramos apenas competências locais, ou importadas da matriz

Keywords


multinacionais, competências locais; competências não-locais



DOI: http://dx.doi.org/10.7867/1980-4431.2006v11n2p%25p

Directories

Indexers

http://diadorim.ibict.br
http://pkp.sfu.ca/node/3747

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.