AS RELAÇÕES DE TRABALHO E A AÇÃO GERENCIAL: UM ESTUDO EM BANCOS PRIVADOS

Helltonn Winicius Patrício Maciel, Anielson Barbosa Silva

Abstract


Este artigo objetiva analisar os vínculos entre as relações de trabalho e a ação gerencial no setor financeiro. O estudo é uma reflexão sobre as implicações das transformações ocorridas nas relações de trabalho decorrentes das mudanças ocorridas no contexto dos bancos. A pesquisa possui caráter qualitativo e analisa as experiências de gerentes e supervisores que trabalham em bancos privados da cidade de Campina Grande/PB. A análise dos resultados favorece a uma reflexão crítica da subsunção dos trabalhadores gerentes em meio à pressão multidimensional exercida sobre os mesmos. O gerente bancário se vê predominantemente numa realidade marcada pelo uso da autoridade formal como meio para o atendimento de interesses organizacionais. A não aceitação de argumentos em meio a problemas operacionais, as constantes pressões para o alcance das metas sobre o risco de ser demitido comprometem o exercício da atividade gerencial. O medo de perder o emprego e de errar leva o gerente a se submeter a situações que caracterizam um processo de precarização das relações de trabalho.


Keywords


relações de trabalho; gerentes; bancos privados.



DOI: http://dx.doi.org/10.7867/1980-4431.2012v17n1p18-37

Directories

Indexers

http://diadorim.ibict.br
http://pkp.sfu.ca/node/3747

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.