O sul catarinense após o auge do carvão

  • Hoyêdo Nunes Lins UFSC

Resumo

O estudo focaliza a trajetória da economia carbonífera no sul de Santa Catarina, explorando aspectos da inflexão, no final dos anos 1980, traduzida em drástica queda na produção e grandes demissões no setor. O objetivo é descrever e discutir os processos relacionados a essa mudança e apontar alguns de seus desdobramentos. Com base em pesquisa bibliográfica e documental, e concentrando o olhar em período que se estende principalmente das últimas décadas do século XX até meados dos anos 2010, coloca-se esse percurso em perspectiva – dirigindo brevemente a atenção para regiões mineiras em outros países – e se indica que, como nessas experiências, também no sul catarinense o declínio da mineração acabou provocando ou agudizando lutas sociais. No novo século, avanços na diversificação produtiva foram registrados, talvez autorizando referência a um “sul carbonífero pós-carvão”. Do mesmo modo, cresceu o interesse pela problemática ambiental, com engajamento aparentemente forte na defesa e recuperação de patrimônio afetado por décadas de mineração.

Publicado
Out 7, 2021
Como citar
LINS, Hoyêdo Nunes. O sul catarinense após o auge do carvão. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, v. 9, n. 3, p. 141-170, out. 2021. ISSN 2317-5443. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/rbdr/article/view/9567>. Acesso em: 22 maio 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2021v9n3p141-170.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Crise regional; diversificação produtiva; economia carbonífera; lutas sociais; meio ambiente; Santa Catarina.