Capital mercantil autônomo e a transição ao capitalismo: a polêmica sobre as duas vias e o papel das cidades

  • Eduardo Barros Mariutti Universidade Estadual de Campinas

Resumo

Tendo como referência principal o clássico debate sobre a transição do feudalismo ao capitalismo, este artigo discute algumas das vias que o capital mercantil tomou para penetrar na “produção” e, desse modo, acelerar a formação do capitalismo. Deste ponto de vista, adentramos na polêmica sobre as duas vias para a gênese do capitalismo, que dividiu Maurice Dobb e Paul Sweezy, na década de 1950. Por fim, será discutida a acalorada controvérsia sobre o papel das cidades na formação do capitalismo, uma temática que exige a incorporação crítica das reflexões de Henri Pirenne ao terreno da discussão marxista. As cidades não devem ser vistas como um “elemento externo” ao feudalismo, mas como outra forma de autoridade e de institucionalidade, distinta daquela do feudo e das unidades institucionais da nobreza eclesiástica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Ago 9, 2020
Como citar
MARIUTTI, Eduardo Barros. Capital mercantil autônomo e a transição ao capitalismo: a polêmica sobre as duas vias e o papel das cidades. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, v. 8, n. 2, p. 7-32, ago. 2020. ISSN 2317-5443. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/rbdr/article/view/9022>. Acesso em: 05 dez. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2020v8n2p7-32.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Capital mercantil autônomo; cidades; feudalismo; marxismo; transição ao capitalismo.