Amazônia Oriental e Andina segundo o “barômetro da sustentabilidade”: Esmeraldas (Equador) e Bragança (Brasil)

##plugins.pubIds.doi.readerDisplayName## http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2020v8n3p33-62

Resumo

A proposta de desenvolvimento sustentável e sua compreensão demandam métodos que possibilitem sua quantificação e qualificação a partir de indicadores, baseados em diferentes variáveis, estabelecidos para medir a sustentabilidade de um sistema. Este trabalho teve por objetivo aplicar o Barômetro da Sustentabilidade em dois municípios, Bragança (Brasil) e Esmeraldas (Equador), de alta fragilidade ambiental pela sua localização em áreas estuarinas e pela ocorrência de áreas protegidas com a presença de manguezais. Foram selecionados 40 indicadores: 23 sociais, 3 econômicos e 14 ambientais. A avaliação indicou para Bragança a posição “potencialmente insustentável”, enquanto para Esmeraldas um desempenho “intermediário”. A avaliação da dimensão ambiental aponta uma situação de risco para os dois municípios devido ao avanço da alteração da cobertura vegetal nas áreas limites e próximo aos cursos d’água da região.
Publicado
Out 23, 2020
##submission.howToCite##
ERAZO, Ana Cristina Olives et al. Amazônia Oriental e Andina segundo o “barômetro da sustentabilidade”: Esmeraldas (Equador) e Bragança (Brasil). Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, v. 8, n. 3, p. 33-62, out. 2020. ISSN 2317-5443. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/rbdr/article/view/8802>. Acesso em: 26 out. 2021. doi: http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2020v8n3p33-62.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Barômetro da sustentabilidade; Brasil; conservação; desenvolvimento sustentável; Equador; indicadores.