Políticas públicas de convivência com o semiárido: a economia solidária como alternativa no sertão paraibano

  • Adriele Mercia Souza de Assis Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
  • Felipe César da Silva Brito Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)

Resumo

Sabe-se que o semiárido brasileiro é uma região que enfrenta, constantemente, longos períodos de estiagem, de forma que, no último século, devido a este fenômeno, a gestão pública foi estimulada a formular políticas de convivência com o clima do sertão nordestino. Nesse sentido, este estudo objetivou avaliar as ações desenvolvidas em um município da Paraíba para a convivência com o semiárido, considerando a economia solidária como uma alternativa. Metodologicamente, a pesquisa se caracterizou como qualitativa na interpretação dos resultados e adotou a estrutura de um estudo de caso exploratório. Os dados foram coletados mediante entrevistas semiestruturadas, aplicadas a gestores municipais nos anos de 2018 e 2019. Os resultados permitiram concluir que a economia solidária (ainda) não é tida como uma estratégia de convivência pela gestão municipal; e que, no momento, em função do longo período de estiagem pelo qual a região tem passado, a equipe administrativa do governo tem concentrado suas ações no desenvolvimento de políticas de enfrentamento, a fim de solucionar o problema mais urgente da população, a escassez hídrica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Ago 9, 2020
Como citar
SOUZA DE ASSIS, Adriele Mercia; SILVA BRITO, Felipe César da. Políticas públicas de convivência com o semiárido: a economia solidária como alternativa no sertão paraibano. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, v. 8, n. 2, p. 141-164, ago. 2020. ISSN 2317-5443. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/rbdr/article/view/8749>. Acesso em: 05 dez. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2020v8n2p141-164.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Economia solidária; Paraíba; políticas públicas; semiárido.