Cobertura da terra e qualidade ambiental: o caso de Peabiru–PR

  • Ana Flávia Bilmayer Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Maristela Denise Moresco Mezzomo Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Resumo

O processo de urbanização vivenciado no Brasil a partir do século XX assumiu velocidade intensa, desencadeando diversos problemas ambientais na paisagem urbana. A aplicação de indicadores ambientais permite a elaboração de estudos que podem subsidiar políticas públicas específicas. Este artigo busca demonstrar como a aplicação de um indicador – cobertura da terra – pode ser considerada uma interessante ferramenta para analisar a qualidade ambiental urbana. O estudo foi realizado na cidade de Peabiru, no estado do Paraná. Os resultados evidenciaram que a distribuição das classes de cobertura da terra apresenta espaços edificados em 47,6% da área de estudo, espaços não edificados em 17,2% e espaços verdes públicos em apenas 1%. As áreas destinadas ao tráfego somam 18,5%, enquanto outras áreas correspondem a 16,6%. Esta distribuição de classes de cobertura da terra pouco contribui com a qualidade ambiental da cidade em estudo. Isso indica que há necessidade de planejamento voltado para espaços e áreas verdes, que potencializam a qualidade de vida da população.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Out 31, 2019
Como citar
BILMAYER, Ana Flávia; MORESCO MEZZOMO, Maristela Denise. Cobertura da terra e qualidade ambiental: o caso de Peabiru–PR. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, v. 7, n. 1, p. 165-186, out. 2019. ISSN 2317-5443. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/rbdr/article/view/7044>. Acesso em: 07 out. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2019v7n1p165-186.
Seção
Artigos

Palavras-chave

cobertura de terra; indicador ambiental; Peabiru; planejamento da paisagem; qualidade urbana.