A perspectiva social de moradores atingidos pela Hidrelétrica Baixo Iguaçu/PR

  • Francine Herpich Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Norma Kiyota Instituto Agronômico do Paraná – IAPAR.
##plugins.pubIds.doi.readerDisplayName## http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2017v5n3p057-084

Resumo

Este artigo resulta de estudo que procurou compreender a perspectiva social dos moradores atingidos pela Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu com base nas teorias de Young (2000, 2006) e Hannigan (1995). O estudo de campo foi levado a efeito com moradores atingidos dos municípios paranaenses de Capitão Leônidas Marques, Capanema, Nova Prata do Iguaçu, Realeza e Planalto. A metodologia utilizada incluiu análise documental e análise de conteúdo de entrevistas semiestruturadas, aplicadas junto aos moradores e às lideranças das organizações que atuam na região. Pode-se concluir que a perspectiva social dos atingidos é construída a partir de sentimentos de ansiedade e insegurança, na medida em que eles percebem desvantagens como prejuízos econômicos, psicológicos e sociais, principalmente, devido ao tempo de espera para a resolução dos conflitos e a conclusão do processo de implantação da hidrelétrica.

Publicado
Ago 13, 2018
##submission.howToCite##
HERPICH, Francine; KIYOTA, Norma. A perspectiva social de moradores atingidos pela Hidrelétrica Baixo Iguaçu/PR. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, v. 5, n. 3, p. 057-084, ago. 2018. ISSN 2317-5443. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/rbdr/article/view/6551>. Acesso em: 26 out. 2021. doi: http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2017v5n3p057-084.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Moradores atingidos; perspectiva social; Paraná; Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu.