Políticas públicas para o desenvolvimento da Economia Solidária no Nordeste brasileiro

  • Vitoria Maria Serafim UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ

Resumo

Diante do caráter socioeconômico do associativismo e cooperativismo, inúmeras políticas públicas são desenvolvidas para promovê-las com o intuito de combater a pobreza e a exclusão social. No município de Ibicuitinga, Ceará, encontra-se a Associação de Aquicultores de Ibicuitinga, constituída por 46 membros, contemplada por políticas públicas para incentivar e desenvolver o associativismo da aquicultura. Este trabalho buscou verificar a efetividade das políticas públicas voltadas para o incentivo e o desenvolvimento do associativismo da aquicultura do citado município na percepção dos beneficiados. Para tanto utilizou-se uma metodologia qualitativa, baseada em entrevista semiestruturada, cujos dados foram tratados através de análise de conteúdo. Como resultados, concluiu-se que as políticas públicas de incentivo ao associativismo (seguridade social, habitação e acesso ao crédito) são eficazes no alcance de seus objetivos, enquanto as políticas públicas que visam contribuir para o desenvolvimento (educação, capacitação) precisam ser revistas, uma vez que não têm obtido êxito no cumprimento de seus propósitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Mai 24, 2018
Como citar
SERAFIM, Vitoria Maria. Políticas públicas para o desenvolvimento da Economia Solidária no Nordeste brasileiro. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, v. 5, n. 2, p. 155-179, maio 2018. ISSN 2317-5443. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/rbdr/article/view/5733>. Acesso em: 05 dez. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2017v5n2p155-179.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Aquicultura; associativismo; Ceará; cooperativismo; economia solidária; políticas públicas.