Urbanização de risco em frente de escarpa e encosta: caso de Primavera do Leste-MT

  • Anna Luiza Garção de Oliveira
  • Sérgio Luiz Moraes Magalhães
  • Olívio Fiorese Neto
  • Antônio Pasqualetto
  • Gustavo Fernando Morari Bárrios

Resumo

O processo construtivo da expansão urbana, quando defronte a ambientes naturais sensíveis, promove ou intensifica situações de risco e perigo a todo o espaço urbano, o que inclui sociedade, bens públicos e particulares. Este artigo reflete a atual situação de ocupação da encosta do Planalto dos Guimarães, no município de Primavera do Leste, Mato Grosso, com foco nos bairros Parque Castelândia, Parque Gnoato e Distrito Industrial. A pesquisa realizada fundamentou-se na hipótese de relação direta entre crescimento populacional – a partir da analise de dados do censo demográfico mais recente (2010) – e avanço da urbanização para frente de escarpa, região propícia à formação de processos erosivos e movimentos de massa, utilizando imagens de satélite e visitas de campo. Por fim, concluiu-se que o crescimento populacional das duas últimas décadas nas áreas de proteção ambiental condicionou a formação de uma Urbanização de Risco, especialmente ligada à declividade e dinâmica de fluxos d’água.

Código JEL | O18; R14; Q56.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Abr 8, 2016
Como citar
OLIVEIRA, Anna Luiza Garção de et al. Urbanização de risco em frente de escarpa e encosta: caso de Primavera do Leste-MT. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, v. 3, n. 2, p. 197-219, abr. 2016. ISSN 2317-5443. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/rbdr/article/view/5446>. Acesso em: 05 dez. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2015v3n2p197-219.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Planejamento urbano; Primavera do Leste; urbanização de risco.