A política de desenvolvimento territorial rural no Brasil e a banalização do conceito de território

  • Agripino Souza Coelho Neto Universidade do Estado da Bahia
##plugins.pubIds.doi.readerDisplayName## http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2013v1n2p107-124

Resumo

O vocábulo território nunca foi tão utilizado como nos últimos anos, seja como categoria explicativa acionada para a compreensão da dimensão espacial da sociedade, seja como palavra-chave para a formulação de políticas públicas, seja como mote para as estratégias de movimentos sociais. Aqui se trabalha com a hipótese de que sua captura pela Política de Desenvolvimento Territorial Rural, do Ministério de Desenvolvimento Agrário, do governo federal brasileiro, responde parcialmente pelo aumento de seu emprego. A repercussão desse uso generalizado fragiliza sua operacionalidade teórica e promove sua banalização. O presente texto se propõe a discutir como o conceito foi apropriado e significado no mencionado programa governamental, problematizando as noções basilares de território rural e desenvolvimento territorial.

Código JEL | O18; R11; R59.

Publicado
Set 1, 2013
##submission.howToCite##
COELHO NETO, Agripino Souza. A política de desenvolvimento territorial rural no Brasil e a banalização do conceito de território. Revista Brasileira de Desenvolvimento Regional, Blumenau, v. 1, n. 2, p. 107-124, set. 2013. ISSN 2317-5443. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/rbdr/article/view/3783>. Acesso em: 26 out. 2021. doi: http://dx.doi.org/10.7867/2317-5443.2013v1n2p107-124.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Brasil; desenvolvimento territorial; políticas governamentais; território; território rural.