Práticas de consumo e Modelagem Matemática: implicações curriculares

  • Alexandrina Monteiro Universidade São Francisco – USF

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar e analisar cenas de algumas experiências realizadas durante o desenvolvimento de uma pesquisa que refletiu sobre o papel da escola na formação do consumidor. O corpus da pesquisa foi construído a partir de entrevistas com jovens e familiares; encontros temáticos e atividades matemáticas aplicadas ao grupo de jovens voluntários. Entendemos que propostas que envolvem problemas aplicados à matemática, ou até mesmo aqueles que geram um ambiente de investigação ou de desenvolvimento de raciocínio lógico-dedutivo não promovem necessariamente ambientes educacionais críticos e transformadores. Desse modo o papel da escola deve ser o de garantir uma maior diversidade de situações que possibilitem o confronto de diferentes práticas - e é neste sentido que entendemos a Modelagem Matemática como uma possibilidade de interação entre diferentes práticas no interior da escola.

Como citar
MONTEIRO, Alexandrina. Práticas de consumo e Modelagem Matemática: implicações curriculares. Modelagem na Educação Matemática, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 43-52, ago. 2010. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/modelagem/article/view/2015>. Acesso em: 06 dez. 2021.

Palavras-chave

Educação do consumidor; Educação Escolar; Modelagem Matemática