Perspectiva educacional e perspectiva cognitivista para a Modelagem Matemática: um estudo mediado por representações semióticas

  • Lourdes Mª Werle de Almeida UEL, PR
  • Rodolfo Eduardo Vertuan Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR

Resumo

A partir de Keitel (1993) podem ser percebidas argumentações de que em atividades de Modelagem Matemática os alunos e/ou professores podem considerar diferentes interesses e procedimentos para a resolução do problema. Alinhados com essa argumentação, Kaiser e Sriraman (2006) sistematizaram seis perspectivas para a Modelagem Matemática nas quais evidenciam diferentes aspectos quanto ao objetivo central com que a atividade de Modelagem é desenvolvida em contextos educativos. Estas perspectivas estão vinculadas a propósitos e interesses subjacentes à implementação das atividades nas aulas e trazem implicações para a forma como o professor conduz o seu desenvolvimento. Nosso trabalho encaminha uma discussão a respeito do uso de diferentes registros de representação semiótica durante o desenvolvimento de atividades de Modelagem quando esta é percebida nas perspectivas educacional e cognitivista. A partir do envolvimento de alunos de um curso de Licenciatura em Matemática com atividades de Modelagem o texto apresenta reflexões que indicam potencialidades destas perspectivas da Modelagem para a produção e coordenação de registros de representação de objetos matemáticos.
Publicado
Ago 17, 2010
Como citar
WERLE DE ALMEIDA, Lourdes Mª; VERTUAN, Rodolfo Eduardo. Perspectiva educacional e perspectiva cognitivista para a Modelagem Matemática: um estudo mediado por representações semióticas. Modelagem na Educação Matemática, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 28-42, ago. 2010. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/modelagem/article/view/2014>. Acesso em: 07 dez. 2021.

Palavras-chave

Modelagem Matemática; Registros de Representação semiótica; Perspectivas de Modelagem