A DESIGUALDADE DE GÊNEROS EM LA MAJORITÉ OPPRIMÉE: UM OLHAR BAKHTINIANO

##plugins.pubIds.doi.readerDisplayName## http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2020v14n3p233-245

Resumo

O presente trabalho se empreende na análise do sujeito feminino na contemporaneidade a partir de um recorte de cena do curta metragem La Majorité Opprimée, dirigido por Eleonore Pourriat e lançado em 2010 na rede social Youtube. É proposta uma análise da realidade social atual em diálogo com a crítica trazida no curta embasada pelos estudos bakhtinianos sobre a linguagem e os conceitos de sujeito, dialogia, enunciado e signo ideológico. Há como objetivo a discussão da formação do sujeito feminino em meio aos embates ideológicos abarcados nos estereótipos relacionados à figura feminina. A metodologia de análise do corpus é a dialética dialógica do Círculo de Bakhtin, partindo da análise do texto, seus níveis sincréticos, verbais e o diálogo destes com as ideologias em dialogia na esfera social.

Publicado
Dez 17, 2020
##submission.howToCite##
MELISSA SANTANA, Bárbara. A DESIGUALDADE DE GÊNEROS EM LA MAJORITÉ OPPRIMÉE: UM OLHAR BAKHTINIANO. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 14, n. 3, p. 233-245, dez. 2020. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/5216>. Acesso em: 16 out. 2021. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2020v14n3p233-245.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Círculo de Bakhtin. Sujeito. Gênero (masculino e feminino).