O SUJEITO E SEUS “OUTROS” DEFINIDORES: LEITURA DO CANTO VI DE SÍSIFO, DE MARCUS ACCIOLY

  • Acácio Luiz Santos Universidade Federal Fluminense

Resumo

Neste trabalho, investiga-se a configuração da linguagem entre os limites da consciência e o inconsciente no Canto VI do longo poema Sísifo, de Marcus Accioly, originalmente publicado em 1976. Busca-se compreender a posição da linguagem poética no sistema maior das belas artes, tal como é representada no referido canto; o trânsito por entre os vários estados de distanciamento do sujeito; o homem e a recepção da obra de arte; os outros do sujeito: o inconsciente e o reencontro com a natureza. Para dar conta desta proposta, faz-se inicialmente uma rápida apresentação do texto; em seguida, descreve-se o papel específico do canto VI na dinâmica do texto como um todo; então, percorre-se o canto detendo a atenção nos pontos principais da jornada poética representada. Este exame possibilitará descrever, ao cabo deste trabalho, a especificidade da linguagem poética instaurada no texto.

Palavras-chave: Linguagem poética. Subconsciente. Marcus Accioly.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Out 5, 2009
Como citar
SANTOS, Acácio Luiz. O SUJEITO E SEUS “OUTROS” DEFINIDORES: LEITURA DO CANTO VI DE SÍSIFO, DE MARCUS ACCIOLY. Linguagens - Revista de Letras, Artes e Comunicação, [S.l.], v. 2, n. 3, p. 369-383, out. 2009. ISSN 1981-9943. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/linguagens/article/view/1164>. Acesso em: 02 out. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1981-9943.2008v2n3p369-383.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Letras; Linguagens