CORRUPÇÃO: “É PROIBIDO NÃO PROIBIR”. REFLEXÕES SOBRE A MORALIDADE E A IMPROBIDADE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

  • Milena Petters Melo FURB
  • Marco Aurélio da Silva FURB

Resumo

Este artigo é resultado de investigação científica que busca oferecer subsídios teóricos para a reflexão sobre o problema da corrupção e a “cultura da improbidade” no Brasil. Elaborado com suporte na doutrina constitucional e administrativista, assim como nas disposições constitucionais e legais predispostas a coibir essas práticas desviantes, com especial atenção aos princípios da moralidade e da probidade administrativa. A partir de uma análise da arquitetura constitucional, na qual os princípios constitucionais são postos no mais alto nível hierárquico do ordenamento jurídico, devendo ser observados como sustentáculo e razão de ser do Estado.
Publicado
Jun 30, 2013
Como citar
MELO, Milena Petters; SILVA, Marco Aurélio da. CORRUPÇÃO: “É PROIBIDO NÃO PROIBIR”. REFLEXÕES SOBRE A MORALIDADE E A IMPROBIDADE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Revista Jurídica (FURB), [S.l.], v. 17, n. 33, p. 195-218, jun. 2013. ISSN 1982-4858. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/juridica/article/view/3829>. Acesso em: 03 dez. 2021.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Administração Pública; Corrupção; Moralidade; Probidade