APRENDIZAGEM A LONGO PRAZO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES

  • Sérgio Choiti Yamazaki Universidade Estadual de MS
  • Regiani Magalhães de Oliveira Yamazaki Universidade Federal da Grande Dourados e Universidade Estadual de MS
##plugins.pubIds.doi.readerDisplayName## http://dx.doi.org/10.7867/1982-4866.2018v24n2p03-20

Resumo

Apresentamos um estudo de caso efetuado em uma universidade pública brasileira que teve o objetivo de verificar aprendizagem duradoura (JONNAERT, 1996) de alunos de um curso de licenciatura em Física. Segundo Jonnaert, uma aprendizagem duradoura só é possível em períodos pós-escolares. Contudo, uma pesquisa de Franklin, Sayre e Clark (2014) mostrou que alunos que participaram de um curso de forma ativa permaneceram com o conhecimento adquirido por um período escolar mais longo do que aqueles que participaram de um curso similar que se utilizou de uma estratégia de ensino tradicional. Neste contexto, avaliamos aprendizagem adquirida em uma disciplina de Prática de Ensino após um período de 2 anos. Trata-se de um estudo de caso para verificação da permanência ou ausência de um discurso em alunos que tiveram envolvimento ativo no decorrer da disciplina. Os resultados, dispostos em gráficos, apontam para correlação entre participação ativa e aprendizagem duradoura.

Publicado
Nov 29, 2018
Como citar
YAMAZAKI, Sérgio Choiti; YAMAZAKI, Regiani Magalhães de Oliveira. APRENDIZAGEM A LONGO PRAZO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES. Revista Dynamis, [S.l.], v. 24, n. 2, p. 03-20, nov. 2018. ISSN 1982-4866. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/dynamis/article/view/7278>. Acesso em: 07 dez. 2021. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1982-4866.2018v24n2p03-20.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Alunos Ativos; Aprendizagem Duradoura; Práticas de Ensino