UMA ANÁLISE PARA A TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA DA CINÉTICA QUÍMICA

  • Priscila do Nascimento Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • José Euzebio Simões Neto Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Flávia Cristiane Vieira da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco
##plugins.pubIds.doi.readerDisplayName## http://dx.doi.org/10.7867/1982-4866.2016v22n2p3-17

Resumo

Podemos entender o processo de transposição didática como o conjunto de modificações as quais saber é submetido, da esfera acadêmica (saber científico) para o âmbito escolar, em duas etapas: externa (produz o saber a ser ensinado) e interna (produz o saber ensinado). Neste trabalho, analisamos a transposição didática do conteúdo cinética química, incialmente com foco na fase externa da transposição, observando as modificações até o estabelecimento do saber escolar. Em um segundo momento, procuramos identificar a partir de uma entrevista com três professores do Ensino Médio evidências do trabalho intramuros da sala de aula, com foco na etapa interna da transposição. Identificamos um processo de transposição rico em supressões e com a ocorrência de acréscimos e criações didáticas. Ainda, foi possível observar que a relação do professor ao saber determina o tempo de ensino do conteúdo, a repersonalização e recontextualização do saber e as estratégias didáticas utilizadas na prática.

Publicado
Dez 15, 2016
Como citar
SILVA, Priscila do Nascimento; SIMÕES NETO, José Euzebio; SILVA, Flávia Cristiane Vieira da. UMA ANÁLISE PARA A TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA DA CINÉTICA QUÍMICA. Revista Dynamis, [S.l.], v. 22, n. 2, p. 3-17, dez. 2016. ISSN 1982-4866. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/dynamis/article/view/6306>. Acesso em: 02 dez. 2021. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1982-4866.2016v22n2p3-17.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Transposição Didática. Cinética Química. Ensino de Química.