INFÂNCIA, BRINCADEIRAS E EDUCAÇÃO BÁSICA: TEMPOS E ESPAÇOS CONSTITUTIVOS DO SER PROFESSOR

  • Gabriele Panke Scheleski Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - Unijuí.
  • Marli Dallagnol Frison Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - Unijuí.

Resumo

Este texto traz resultados de uma pesquisa de Mestrado relacionada ao desenvolvimento profissional docente articulado à produção de novos sentidos sobre a prática pedagógica, que investigou espaços e elementos formativos que constituem o ser professor. A análise da pesquisa baseou-se nos processos de apropriação dos significados e da produção de sentidos que envolvem a profissão docente durante a infância e a Educação Básica. A pesquisa é do tipo estudo de caso e a base teórica assenta-se na teoria histórico-cultural e em autores que tratam do desenvolvimento profissional docente. Resultados mostram que já na infância são produzidas marcas sobre o ser professor, as quais influenciam na escolha da profissão e servem de referência para a práxis educativa, sendo possível considerar esta fase como o início do desenvolvimento profissional
Publicado
Out 1, 2020
Como citar
SCHELESKI, Gabriele Panke; FRISON, Marli Dallagnol. INFÂNCIA, BRINCADEIRAS E EDUCAÇÃO BÁSICA: TEMPOS E ESPAÇOS CONSTITUTIVOS DO SER PROFESSOR. Atos de Pesquisa em Educação, [S.l.], v. 15, n. 3, p. 759-780, out. 2020. ISSN 1809-0354. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/8222>. Acesso em: 22 maio 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2020v15n3p759-780.
Seção
Artigos

Palavras-chave

apropriação; desenvolvimento profissional; docência; educação física; (inter)mediação.