PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO NO CONTEXTO BRASILEIRO: PERSPECTIVAS DE INSTITUIÇÕES EMERGENTES

  • Stela M. Meneghel FURB - Universidade Regional de Blumenau
  • Ivo M Theis FURB - Universidade Regional de Blumenau
  • Fabiane Robl Ministério da Educação e Cultura
  • Joyce Wassem FURB - Universidade Regional de Blumenau

Resumo

Em todo o mundo, a produção de conhecimento científico (ou
simplesmente pesquisa) tem aumentado exponencialmente nas últimas décadas. No Brasil, este aumento tem ocorrido, principalmente, em virtude da criação de novos Programas de Pós-graduação (mestrado e doutorado) e de revistas científicas. No entanto, ele não tem sido homogêneo nas diferentes regiões e universidades do país: está concentrado em centros de excelência. Este texto tem, por objetivo, caracterizar as diferenças de produção científica dos centros de excelência em contraposição a outros tipos de instituições, chamadas periféricas e emergentes. Para tanto, considera a princípio a origem destes termos na Economia e Geografia e sua transposição para outras áreas de conhecimento. Em seguida, com apoio em conceitos sobre condições do ‘saber fazer’ e do ‘tempo para fazer’ pesquisa,
caracteriza Programas de Pós-graduação e universidades como centros de excelência, periféricas e emergentes. Na seqüência, indica as limitações das instituições e Programas de Pós-graduação emergentes para atingir parâmetros científicos de “referência” (dados pelas agências financiadoras) que, via de regra, privilegiam a inserção internacional da pesquisa. Assim, mostra que as
universidades emergentes, ao se ocuparem com questões alheias ao seu entorno mais próximo (a fim de obter recursos das agências), tendem a perder a oportunidade de contribuir na resolução de demandas locais de desenvolvimento regional. Este estudo, baseado em dados bibliográficos, finaliza com considerações sobre a dificuldade de mensurar o compromisso social da produção científica, debatendo a necessidade de repensar critérios de avaliação das agências financiadoras e estabelecer formas de mensurar seus impactos na sociedade, além de políticas de financiamento que estimulem a produção de conhecimento com inserção local.

Palavras-Chave: Universidades emergentes. Universidades Periféricas. Produção de Conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como citar
MENEGHEL, Stela M. et al. PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO NO CONTEXTO BRASILEIRO: PERSPECTIVAS DE INSTITUIÇÕES EMERGENTES. Atos de Pesquisa em Educação, [S.l.], v. 2, n. 3, p. 444-460, jun. 2008. ISSN 1809-0354. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/756>. Acesso em: 07 out. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2007v2n3p444-460.

Palavras-chave

Universidades emergentes. Universidades Periféricas. Produção de Conhecimento.