AS TENSÕES NORMATIVAS DA MODERNIDADE

  • François De Singly Faculté des Sciences Humaines et Sociales de la Sorbonne. Centre de Recherches sur les Liens Sociaux (CNRS-Paris V) Centre universitaire des Saints-Pères 45, rue des Saints-Pères, 75006 Paris.

Resumo

A partir de uma análise das relações familiares a modernidade é interrogada, aqui, em seu conjunto. As tensões e as incertezas das relações educativas atuais podem ser vinculadas às intromissões instáveis de dois registros modernos: um, trata-se da regra imperativa, típica da pré-modernidade, e, outro, da regra negociada e contextualizada, indispensável à individualização. O dilema normativo, hoje, encara assim ambas as regras, a imperativa e a cooperativa. Se a desvalorização da norma imperativa permanece evidente, por outro lado, não consiste em solução desvalorizar também a norma relacional, representando-a como algo que engendra todos os males. Deve-se recusar este falso dilema entre a norma moral ou a norma psicológica, entre o imperativo ou o individualismo, e aprender a manter ambos como partes da regulação das condutas e das relações.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Out 10, 2018
Como citar
DE SINGLY, François. AS TENSÕES NORMATIVAS DA MODERNIDADE. Atos de Pesquisa em Educação, [S.l.], v. 13, n. 2, p. 428-458, out. 2018. ISSN 1809-0354. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/7074>. Acesso em: 01 jul. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2018v13n2p428-458.
Seção
Tradução

Palavras-chave

normatividades, modernidade, educação, individualização