FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: PROFESSOR-PESQUISADOR

  • Beatriz Silva D’Ambrósio
  • Ubiratan D’Ambrósio

Resumo

Há muito tempo discute-se em Educação a disjunção entre o trabalho do professor na sala de aula e os resultados da pesquisa. O uso da palavra pesquisa nas sociedades modernas merece uma reflexão sobre o próprio conceito de pesquisa. Muitos cursos de graduação e, praticamente, todos de pós-graduação, têm como obrigatória a disciplina Metodologia de Pesquisa, muitas vezes com um outro nome. As escolas fundamentais mais avançadas envolvem seus alunos, mesmo antes que saibam ler e escrever, em projetos de pesquisa individual ou em grupo. É comum, nas pesquisas, controlar as variáveis, criando-se grupos controle e grupos experimentais. Os resultados são aparentemente pouco úteis para o professor de sala de aula. A linguagem, muitas vezes esotérica, utilizada nos ensaios, a subordinação rígida a certas correntes teóricas, e a falta de implicações imediatas para a prática, são interpretadas como evidência da inutilidade dos resultados e limitam sua influência apenas ao âmbito acadêmico. A população, em geral, é bombardeada com referências, nos meios de comunicação, com resultados alarmantes das pesquisas. É natural, então, perguntar: “Mas, afinal, o que é pesquisa?”. Neste trabalho procuramos relacionar a pesquisa com a ação na sala de aula e estabelecer estratégias que associam o mundo da prática com o mundo da pesquisa.

Palavras-chave: educação; educação matemática; pesquisa; sala de aula; ação.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como citar
SILVA D’AMBRÓSIO, Beatriz; D’AMBRÓSIO, Ubiratan. FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: PROFESSOR-PESQUISADOR. Atos de Pesquisa em Educação, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 75-85, abr. 2007. ISSN 1809-0354. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/65>. Acesso em: 12 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2006v1n1p75-85.

Palavras-chave

educação; educação matemática; pesquisa; sala de aula; ação.