ARGUMENTAÇÃO EM FOCO: CONCEPÇÕES, REFLEXÕES E PRÁTICA DE UMA PROFESSORA DO ANO 5

Telma Ferraz Leal, Ana Carolina Perrusi Brandão, Severina Erika Morais Silva Guerra, Edla Ferraz Correia Carvalho

Resumo


Por meio de um estudo de caso, buscou-se refletir, nesta pesquisa, sobre as concepções de uma professora sobre o ensino da argumentação. A docente foi observada durante dois meses, perfazendo um total de quinze aulas gravadas, em turnos de quatro horas. Após essa etapa, a professora foi entrevistada e solicitada a analisar, em voz alta, a transcrição de uma aula na qual outra professora propôs atividades dirigidas para o desenvolvimento de habilidades argumentativas. A análise das aulas e da entrevista revelou que a docente observada propiciava variadas propostas de leitura e escrita, aproximando os alunos de situações miméticas às vivenciadas pelos estudantes fora da escola, envolvendo a circulação de diferentes gêneros. No entanto, contemplava o ensino da argumentação de forma repetitiva: ler um texto, fazer perguntas e discutir. A concepção da docente era que tal procedimento seria suficiente para ensinar as crianças a argumentar. Não houve situações em que os estudantes fossem estimulados a se engajar em atividades de leitura e produção de textos para atender a finalidades sociais diversificadas, ou que tivessem que interagir com pessoas externas ao ambiente de sala de aula.  O estudo evidenciou que tal concepção pode resultar de uma reflexão pouco desenvolvida sobre os gêneros discursivos e práticas de linguagem na formação da docente.

Palavras-chave


argumentação, prática docente, leitura, produção de textos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2016v11n1p138-158

T
Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.