PRODUTIVIDADE NA PÓS-GRADUAÇÃO BRASILEIRA? RUMOS, LIMITES E ENGODOS NA BUSCA DE GARANTIR A QUALIDADE

  • Ana Maria Netto Machado

Resumo

Gerar “produtos” intelectuais em exíguos prazos é provavelmente a atividade mais característica do cotidiano do pesquisador nos dias atuais. Sendo os parâmetros, hoje, a quantidade como meta e a avaliação como controle (esta por parte de órgãos oficiais), a qualidade das produções vêm preocupando e demandando reflexões. Volumosos resultados de uma pesquisa sobre a ‘orientação de teses e dissertações’, envolvendo sujeitos pesquisadores seniors e outras fontes, permitemnos analisar diversos aspectos desta realidade da pós-graduação. Neste trabalho, contextualizamos o problema, e exploramos algumas de suas dimensões, dialogando com um fragmento do conto fantástico Utopia de un hombre que está cansado, de Jorge Luiz Borges, que re-significou, para nós, uma experiência vivenciada na Anped/2005, a propósito da era da produtividade que vivemos.

Palavras-chave: pesquisa; pós-graduação; produtividade; escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
Abr 24, 2007
Como citar
NETTO MACHADO, Ana Maria. PRODUTIVIDADE NA PÓS-GRADUAÇÃO BRASILEIRA? RUMOS, LIMITES E ENGODOS NA BUSCA DE GARANTIR A QUALIDADE. Atos de Pesquisa em Educação, [S.l.], v. 1, n. 2, p. 106-119, abr. 2007. ISSN 1809-0354. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/33>. Acesso em: 12 ago. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2006v1n2p106-119.

Palavras-chave

pesquisa; pós-graduação; produtividade; escrita.