O LICEU DA PROVÍNCIA DE SANTA CATARINA NO JOGO DO PODER (1857-1864)

  • Thiago Cancelier Dias
  • Norberto Dallabrida

Resumo

O presente trabalho se propõe a analisar as tensões que se colocaram em torno do Liceu da Província de Santa Catarina, estabelecimento de ensino secundário localizado na cidade de Nossa Senhora do Desterro, entre 1857 e 1864. A leitura dessas tensões é feita a partir dos conceitos de “estabelecidos” e outsiders cunhados por Norbert Elias e John Scotson. Em Desterro, os estabelecidos eram constituídos especialmente por famílias tradicionais de ascedência açoriana, que tinham vinculação com a Igreja Católica; os outsiders eram formados por liberais exaltados e por alemães antimonárquicos que imigraram para o Brasil após a fracassada Revolução de 1848. Desta forma, o Liceu da Província de Santa Catarina, marcado por uma cultura escolar pública, laica e científica, foi defendido e sustentado pelos outsiders e atacado e esvaziado pelos “estabelecidos”, que articularam a sua substituição pelo Colégio Santíssimo Salvador, dirigido por padres jesuítas italianos.  
Como citar
CANCELIER DIAS, Thiago; DALLABRIDA, Norberto. O LICEU DA PROVÍNCIA DE SANTA CATARINA NO JOGO DO PODER (1857-1864). Atos de Pesquisa em Educação, [S.l.], v. 4, n. 1, p. 18-35, ago. 2009. ISSN 1809-0354. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/1445>. Acesso em: 22 maio 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2009v4n1p18-35.
Seção
Artigos