PROPOSTA DE CONVERGÊNCIA TEÓRICA DAS PERSPECTIVAS DAS FINANÇAS E DA CONTABILIDADE NA AVALIAÇÃO DE ATIVOS INTANGÍVEIS

Joyce Mariella Medeiros Cavalcanti, Hudson Fernandes Amaral, Laise Ferraz Correia, Luiz Cláudio Louzada

Resumo


Os ativos intangíveis passaram, nos últimos anos, a serem considerados como os principais direcionadores de valor corporativo. Apesar de sua relevância, avaliá-los tem se constituído em uma atividade complexa que envolve o debate entre as perspectivas da Contabilidade e das Finanças. Ao se discutir neste ensaio teórico as potencialidades e as limitações da Contabilidade e das Finanças para avaliar os ativos intangíveis – a partir de suas teorias positivas e normativas, o objetivo foi apresentar uma proposta de possível convergência entre essas perspectivas, a qual ensejasse uma melhoria na qualidade da informação concernente ao valor desses ativos. Argumentou-se, por um lado, que a Contabilidade não evidencia os ativos intangíveis inteiramente nas demonstrações contábeis; e, por outro, defendeu-se que metodologias financeiras permitiriam compensar essa lacuna na informação. Como conclusão, entendeu-se que ambas perspectivas se complementam, uma vez que a avaliação dos ativos intangíveis funciona como um ciclo, em que a Contabilidade evidencia nas demonstrações financeiras o que de fato reconhece como eventos que alteraram a situação econômica, financeira e patrimonial da firma, enquanto as Finanças concentram-se na análise dessas informações, em conjunto com dados externos, como suporte à tomada de decisão.

Palavras-chave


Ativos intangíveis; Contabilidade; Finanças; Teorias Positivas e Normativas; Convergência.

Texto completo:

DOI:10.4270/ruc.2017431

Referências


AMIR, E.; LEV, B; SOUGIANNIS, T. Do financial analysts get intangibles? European Accounting Review, v.12, n.4, p. 635-659, 2003.

ANDRIESSEN, D. Making Sense of Intellectual Capital: Designing a Method for the Valuation of Intangibles. Burlington: Elsevier Butterworth-Heinemann, 2004a.

______. IC valuation and measurement: classifying the state of the art. Journal of Intellectual Capital, v. 5, n. 2, p. 230-242, 2004b.

ANTUNES, M. T. P.; MARTINS, E. Capital Intelectual: Verdades e Mitos. Revista Contabilidade & Finanças, v. 13, n. 29, p. 41-54, mai./ago. 2002.

BARROS, K. S. M. Réplica 1 – o que é um ensaio?. Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 2, p. 333-337, 2011.

BESSIEUX-OLLIVER, C.; SCHATT, A.; WALLISER, E.; ZEGHAL, D. La reconnaissance du capital immatériel: quels enjeux pour l’évaluation des entreprises? Management International, v. 18, n. 3, p. 12-19, 2014.

CAZAVAN-JENY, A. (2015). Intangible Assets: how should organizations measure and report on them? Disponível em: http://knowledge.essec.edu/en/economy-finance/intangible-assets-how-should-organizations-measure.html. Acesso em: 25 out. 2015.

CHRISTENSEN, J. A.; DEMSKI, J. S. Accounting theory: an information content perspective. Boston: McGraw-Hill/Irwin, 2003.

CINTRA, A. M. M. Determinação do tema de pesquisa. Ciência da Informação, v. 11, n. 2, p. 13-16, 1982.

CIPRIAN, G. G.; VALENTIN, R.; MĂDĂLINA, G.; A, LUCIA, V. M. From visible to hidden intangible assets. Procedia - Social And Behavioral Sciences,v. 62, p. 682-688, out. 2012.

CPC - Comitê de Pronunciamentos Contábeis. (2010). CPC 04 [R1]: ativo intangível. Disponível em: http://static.cpc.mediagroup.com.br/Documentos/187_CPC_04_R1_rev%2006.pdf. Acesso em: 15 abr. 2015.

ECKSTEIN, C. The measurement and recognition of intangible assets: then and now. Accounting Forum, v. 28, n. 2, p. 139-158, jun. 2004.

ELWIN, P. Discussion of ‘Accounting for intangibles – a critical review of policy recommendations’. (2008). Accounting and Business Research, v. 38, n. 3, p. 205-207, jun. 2008.

EVANS, T. G. Accounting theory: contemporary accounting issues. Mason: Thompson South-Western, 2003.

FUJI, A. H. O conceito de lucro econômico no âmbito da contabilidade aplicada. Revista Contabilidade & Finanças, v. 15, n. 36, p. 74-86, set./dez. 2004.

GARCÍA-AYUSO, M. Factors explaining the inefficient valuation of intangibles. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 16, n. 1, p. 57-69, 2003.

HENDRIKSEN, E. S.; VAN BREDA, M. Teoria da contabilidade. São Paulo: Atlas, 1999.

HUNTER, L.; WEBSTER, E.; WYATT, A. Measuring intangible capital: a review of current practice. Australian Accounting Review, v. 15, n. 36, p. 4-21, 2005.

JIANG, H. Institutional investors, intangible information, and the book-to-market effect. Journal of Financial Economics, v. 96, n. 1, p. 98-126, abr. 2010.

JENSEN, M. C.; SMITH JR, C. W. The Theory of Corporate Finance: A Historical Overview. NBR Working Papers Series. Disponível em: http://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=244161. Acesso em: 2 ago 2015.

JENSEN, M. C. (1976). Reflections on the State of Accounting Research and the Regulation of Accounting. NBR Working Papers Series. Disponível em: http://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=321522. Acesso em: 17 ago 2015.

KAYO, E. K; FAMÁ, R. A estrutura de capital e o risco das empresas tangível-intensivas e intangível-intensivas. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 39, n. 2, p. 164-176, abr./mai./jun. 2004.

KAYO, E. K.; KIMURA, H.; BASSO, L. F. C. Avaliação de ativos intangíveis e analytic hierarchy process: um ensaio sobre a hierarquização dos direcionadores não-financeiros de valor. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 3, n. 3, p. 231-241, 2005.

KAYO, E. K.; KIMURA, H.; MARTIN, D. M. L., NAKAMURA, W. T. Ativos Intangíveis, Ciclo de Vida e Criação de Valor. Revista de Administração Contemporânea, v. 10, n. 3, p. 73-90, jul./set. 2006.

KOTHARI, S P. Capital markets research in accounting. Journal of Accounting and Economics, v. 31, n. 1-3, p. 105-231, set. 2001.

LEV, B. Intangibles: management, measurement and reporting. Washington: Brookings Institution, 2001.

______. Intangible Assets: Concepts and Measurements. Encyclopedia of Social Measurement, v.2, p. 299-305, 2005.

______. A rejoinder to Douglas Skinner’s ‘Accounting for intangibles – a critical review of policy recommendations’. Accounting and Business Research, v. 38, n. 3, p. 209-213, 2008.

______.; GU, F. The End of Accounting and the Path Forward for Investors and Managers. Hoboken: John Wiley & Sons, 2016.

LOPES, A. B. Uma contribuição ao Estudo da Relevância da Informação Contábil para o Mercado de Capitais: O modelo de Ohlson Aplicado à BOVESPA. 2001. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) – Departamento de Contabilidade e Atuária, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

LOPES, A. B.; MARTINS, E. Teoria da Contabilidade: uma nova abordagem. São Paulo: Atlas, 2005.

______.; SANT’ANNA, D. P.; COSTA, F. M. A relevância das informações contábeis na Bovespa a partir do arcabouço teórico de Ohlson: avaliação dos modelos de Residual Income Valuation e Abnormal Earnings Growth. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 42, n. 4, p. 497-510, out./nov./dez. 2007.

MARR, B. Perspectives on intellectual capital. Burlington: Elsevier Butterworth-Heinemann, 2005.

MILLER, M. H. The History of Finance: an eyewitness account. The Journal of Portfolio Management, v. 25, n. 4, p. 95-101, 1999.

NICULITA, A. L.; POPA, A. F.; CALOIAN, F. The Intangible Assets: A New Dimension in the Company's Success. Procedia Economics and Finance, v. 3, p. 304-308, 2012.

OLIVEIRA, J. M.; BEUREN, I. M. O tratamento contábil do capital intelectual em empresas com valor de mercado superior ao valor contábil. Revista Contabilidade & Finanças, v. 14, n. 32, p. 81-98, mai./ago. 2003

PENMAN, S. H. Accounting for intangible assets: there is also an income statement. ABACUS, v. 45, n. 3, p. 358-371, jun. 2009.

______. Financial Forecasting, Risk and Valuation: Accounting for the Future. ABACUS, v. 46, n. 2, p. 211-228, jun. 2010.

______. Análise de Demonstrações Financeiras e Security Valuation. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

PEREZ, M. M.; FAMÁ, R.. Ativos intangíveis e o desempenho empresarial. Revista Contabilidade & Finanças – USP, São Paulo, v. 17, n. 40, p. 7-24, jan./abr. 2006.

PETTY, J. W.; BYGRAVE, W. D. What Does Finance Have to Say to the Entrepreneur. The Journal of Small Business Finance, v. 2, n. 2, p. 125-137, 1993.

SALINAS, G. The International Brand Valuation Manual: A complete overview and analysis of brand valuation techniques, methodologies and their applications. New York: Wiley, 2009.

SCHIEHLL, E.; BORBA, J. A.; MURCIA, F. D. Financial Accounting: an epistemological research note. Revista Contabilidade & Finanças – USP, São Paulo, v. 18, n. 45, p. 83-90, set./dez. 2007.

SCHMIDT, P.; SANTOS, J. L. Avaliação de Ativos Intangíveis. 2. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

SKINNER, D. J. Accounting for Intangibles – a critical review of policy recommendations. Accounting and Business Research, v. 38, n. 3, p. 191-204, 2008a.

______. A reply to Lev’s rejoinder to ‘Accounting for intangibles – a critical review of policy recommendations. Accounting and Business Research, v. 38, n. 3, p. 215-216, 2008b.

STEWART, T. A. Capital Intelectual. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1998.

SULLIVAN, P. H. Value-Driven Intellectual Capital: how to convert intangible corporate assets into market value. New York: Wiley, 2000.

SVEIBY, K. E. The New Organization Wealth. San Francisco: Berrett-koehler Publishers, 1997.

TAPLIN, R. H. The Measurement of Comparability in Accounting Research. ABACUS, v. 47, n. 3, p. 383-409, set. 2011.

TSAI, C. F.; LU, Y. H.; YEN, D. C. Determinants of intangible assets value: The data mining approach. Knowledge-based Systems, v. 31, p.67-77, jul. 2012.

WATTS, R.; ZIMMERMAN, J. L. Positive accounting theory. New Jersey: Prentice Hall, 1986.

WERNKE, R.; BORNIA, A C. Estudo de caso aplicando modelo para identificação de potenciais geradores de intangíveis. Revista Contabilidade & Finanças – USP, São Paulo, v. 14, n. 33, p. 45-64, set./dez. 2003

ZANOTELI, E. J.; AMARAL, H. F.; SOUZA, A. A. Intangible assets and the accounting representation crisis. Advances in Scientific and Applied Accounting, v. 8, n. 1, p. 3-19, jan./abr.2015.

ZÉGHAL, D.; MAALOUL, A. The accounting treatment of intangibles – a critical review of the literature. Accounting Forum, v. 35, p. 262-274, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2017431

Locations of visitors to this page

................................................................................................................................................................................................................................................................

Revista Universo Contábil - ISSN 1809-3337
Rua Antonio da Veiga, 140, Sala D-202
CEP 89012-900, Blumenau, SC, Brasil
Tel.: +554733210938 Fax: +554733228818
e-mail: universocontabil@furb.br