A INFLUÊNCIA DO TÍTULO DE MESTRE NOS EGRESSOS DO MESTRADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FECAP: ANÁLISE À LUZ DA TEORIA DO CAPITAL HUMANO

Amanda Russo Chirotto, Ivam Ricardo Peleias, Claudio Parisi, Jacqueline Veneroso Alves da Cunha

Resumo


A Teoria do Capital Humano (TCH) estabelece que, ao adquirir mais conhecimentos e habilidades, um indivíduo aumentaria o valor de seu capital humano, e em consequência, de sua empregabilidade, produtividade e rendimento potencial. Diante desse pressuposto, buscou-se analisar a influência do título de mestre nos egressos do mestrado em Ciências Contábeis da FECAP sob a ótica da TCH. Foi realizada uma pesquisa descritiva, quantitativa, com aplicação de um questionário para 180 egressos mestres. Os resultados apontaram que os mestres são majoritariamente homens, com idade média de 47 anos, casados, com filhos, residentes na cidade de São Paulo e com formação em Ciências Contábeis, tendo como principais atividades remuneradas o mercado e a academia, a maioria atuando no setor privado e com remuneração acima de R$ 9.000,00, os resultados apontam melhora na faixa salarial após a conclusão do curso. Os principais fatores percebidos como mais influenciados pelo título foram: espírito acadêmico, diferenciação profissional, competências analíticas, empregabilidade, oportunidades na carreira, respeitabilidade e reconhecimento acadêmico/profissional. Para os egressos, o título influenciou positivamente, considerando os fatores preconizados pela TCH.


Palavras-chave


Teoria do Capital Humano; Mestrado; Ciências Contábeis; Pós-graduação.

Texto completo:

DOI:10.4270/ruc.2017425

Referências


BAPTISTE, I. Educating lone wolves: pedagogical implications of human capital theory. Adult Education Quartely. Washington, v. 51, n. 3, p. 184-201, mai./ 2001.

BARTH, T. G.; ENSSLIN, S. R.; BORGERT, A. Os benefícios pessoais da pós-graduação stricto sensu: uma análise na percepção de mestres em Contabilidade. REPeC – Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, Brasília, v.10, n. 1, p. 106-128, jan./mar. 2016.

BECKER, G. Human Capital: A Theoretical And Empirical Analysis, With Special Reference To Education. Chicago: University Of Chicago Press, 1964.

BEIGUELMAN, B. Reflexões sobre a pós-graduação brasileira. In: PALATNIK, M. et al.(orgs.) A Pós-Graduação no Brasil. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1998. p.33-48.

BRIGGS, V. M. Human resource development and the formulation of national economic policy. Journal of economic issues, v. XXI, n. 3, p. 1207-1240. set./ 1987.

CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS-CGEE. Mestres e Doutores 2015: estudos da demografia da base técnico-científica brasileira. 2015. Disponível em: < https://www.cgee.org.br/documents/10182/734063/Mestres_Doutores_2015_Vs3.pdf >. Acesso em: 10 jul. 2017.

CHAPMAN, B; LOUNKAEW, K. Introducton to the special issue on Economic Research for Education Policy. Economics of Education Review, v. 37, p. 200-203, dez. 2013.

COATES, H; EDWARDS, D. The graduate pathways survey: new insights on education and employment outcomes five years after bachelor degree completion. Higher Education Quarterly. v. 65, n. 1, p. 74-93, jan. 2011.

CUNHA, J. V. A. Doutores em Ciências Contábeis da FEA/USP: análise sob a óptica da Teoria do Capital Humano. 2007. 269 f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

______; CORNACCHIONE JUNIOR, E. B.; MARTINS, G. A. Doutores em Ciências Contábeis: análise sob a óptica da Teoria do Capital Humano. RAC – Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 14, n. 3, p. 532-557, maio/jun. 2010.

DALLABONA, L. F.; OLIVEIRA, A. F.; RAUSCH, R. B. Avanços pessoais e profissionais adquiridos por meio da titulação de mestre em Ciências Contábeis. Revista de Contabilidade Vista & Revista, Belo Horizonte, v. 24, n. 2, p. 39-62, abr./jun. 2013.

FRIGOTTO, G. Educação e a crise do capitalismo real. São Paulo: Cortez, 2000.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GOUVÊA, M. A.; ZWICKER, R. O mestrado profissionalizante e o perfil dos alunos de um mestrado acadêmico: resultados de uma pesquisa empírica. Cadernos de Pesquisa em Administração, São Paulo, v. 7, n. 3, p. 99-110, jul./set. 2000.

HAIR JUNIOR, J. F. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HINCHLIFFE, J. K. Education and the labour market. In: PSACHAROPOULOS, G. (Org.). Economics of education – Research and Studies, [s.1]: Pergamon Press, 1987. p. 141-146.

HORA, H. R. M.; MONTEIRO, G. T. R.; ARICA, J. Confiabilidade em Questionários para Qualidade: Um Estudo com o Coeficiente Alfa de Cronbach. Produto & Produção, v. 11, n. 2, p. 86-103, jun. 2010.

LOENING, J. L. Effects of primary, secondary and tertiary education on economic growth. World Bank Policy Research Working Paper, n. 3610, maio 2005. Disponível em: < http://elibrary.worldbank.org/doi/abs/10.1596/1813-9450-3610 >. Acesso em: 29 mar. 2013.

MACHIN, S.; STEVENS, M. The Assessment: Education. Oxford Review of Economic Policy, v. 20, n. 2, p. 157-172, 2004.

MACHIN, S. Economics of Education Research and Its Role in the Making of Education Policy. Fiscal Studies, v. 35, n. 1, p. 1–18, 2014.

MARTINS, O. S.; MONTE, P. A. Fatores determinantes da variação salarial dos mestres em Contabilidade. Pensar Contábil, Rio de Janeiro, v. 12, n. 49, p. 13-22, set./dez. 2010a.

______; ______. Mestres em Ciências Contábeis: uma análise sob a ótica da Teoria do Capital Humano. REPeC - Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, Brasília, v. 3, n. 2, p. 1-22, maio/ago. 2009a.

______; ______. Motivações, expectativas e influências relacionadas ao título de mestre em Ciências Contábeis pelo Programa UnB/UFPB/UFPE/UFRN. Contabilidade, Gestão e Governança, Brasília, v. 13, n. 1, p. 16-31, jan./abr. 2010b.

______; ______. Um recorte da produção científica dos egressos de um Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Contabilidade. Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, v.1, n. 12, p. 127-150, jul./dez. 2009b.

______; ______. Variáveis que explicam os desempenhos acadêmico e profissional dos mestres em Contabilidade do Programa Multinstitucional UnB/UFPB/ UFRN. Revista Universo Contábil, Blumenau, v. 7, n. 1, p. 68-87, jan./mar. 2011.

______; VASCONCELOS, A. F.; MONTE, P. A. IES pública X IES privada: uma investigação sobre o mito da influência do tipo de IES na atuação profissional do contador. Revista Contabilidade Vista & Revista, Belo Horizonte, v. 20, n. 2, p. 39-64, abr./jun. 2009.

MATOS, B. P. et al. Formação acadêmica e mercado de trabalho: os destinos profissionais de mestres e doutores em Administração. In: VELLOSO, J. (Org.) A pós-graduação no Brasil: formação e trabalho de mestres e doutores no país. Brasília: Capes, Ministério da Educação; Unesco, 2002. v. 1. p. 61-100.

MENON, M. E.; PASHOURTIDOU, N.; POLYCARPOU, A.; PASHARDES, P. Student´s expectations about earnings and employment and the experience of recent university graduates: evidence from Cyprus. International Journal of Education Development, v. 32, n. 6, p. 805-813, nov. 2012.

MINCER, J. Human capital and economic growth. Working paper. 1981.

Disponível em: < http://www.nber.org/papers/w0803>. Acesso em: 10 jul. 2017.

MORAES, R. O. Mestres em Ciências Contábeis sob a óptica da teoria do capital humano. 2009. 148 f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) -Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

MORETTI, E. Estimating the social return to higher education: evidence from longitudinal and repeated cross-sectional data. Journal of Econometrics, Amsterdan, v. 121, n. 1/2, p. 175-212, 2004.

Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2013.

OREOPOULOS, P.; SALVANES, K. G. Priceless: The nonpecuniary benefits of schooling. Journal of Economic Perspectives, v. 25, n. 1, p. 159-184, 2011.

PSACHAROPOULOS, G; PATRINOS, H. A. Returns to investment in education: a further update. Policy Research Working Paper, n. 2881. 2002.

Disponível em: . Acesso em: 08 mar. 2016.

PELEIAS, I. R. et al. Evolução do ensino da contabilidade no Brasil: uma análise histórica. Revista Contabilidade & Finanças - USP, São Paulo, v. 18, n. esp., jun. 2007.

Disponível em: . Acessos em: 08 mar. 2016.

PINHO, C. M. Economia da educação e desenvolvimento econômico. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1976.

RAUCH, J. E. Productivity gains from geographic concentration of human capital: evidence from the cities. Journal of Urban Economics, n. 34, p. 380-400, 1993.

Disponível em: < http://www.nber.org/papers/w3905.pdf?new_window=1> . Acesso em 10 jul. 2017.

ROBEYNS, I. Three models of education: rights, capabilities and human capital. Theory and Research in Education, v. 4, n. 1, p. 69-84, 2006. doi: 10.1177/1477878506060683

SALVATO, M. A.; FERREIRA, P. C. G.; DUARTE, A. J. M. O impacto da escolaridade sobre a distribuição de renda. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 40, n. 4, p.753-791, 2010.

SAUL, R. P. As raízes renegadas da teoria do capital humano. Sociologias, Porto Alegre, v. 6, n. 12, p. 230-273, jul./dez. 2004.

SCHULTZ, T. W. Capital formation by education. The Journal of Political Economy, Chicago, v. 68, n. 6, p. 571-583, dec. 1960.

______. Investment in human capital. The American Economic Review, Nashville, v. 51, n. 1, p. 1-17, Mar. 1961.

SHEEHAN, J. Economia da educação. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

VELLOSO, J. Mestres e doutores no país: destinos profissionais e políticas de pós-graduação. Cadernos de Pesquisa, v. 34, n. 123, p. 583-611, set/dez. 2004.

______ (Org.). A pós-graduação no Brasil: formação e trabalho de mestres e doutores no país. Brasília: Capes, Ministério da Educação; Unesco, 2002. v. 1.

______ (Org.). A pós-graduação no Brasil: formação e trabalho de mestres e doutores no país. Brasília: Capes, Ministério da Educação; Unesco, 2003.v. 2.

______; VELHO, L. Mestrandos e doutorandos no país: trajetórias de formação. Brasília: Capes, 2001.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2017425

Locations of visitors to this page

................................................................................................................................................................................................................................................................

Revista Universo Contábil - ISSN 1809-3337
Rua Antonio da Veiga, 140, Sala D-202
CEP 89012-900, Blumenau, SC, Brasil
Tel.: +554733210938 Fax: +554733228818
e-mail: universocontabil@furb.br