TRANSPARÊNCIA E PRESTAÇÃO DE CONTAS NA MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS NO TERCEIRO SETOR: UM ESTUDO DE CASOS MÚLTIPLOS REALIZADO NO SUL DO BRASIL

Camila Fortuna Dall Agnol, Rosana da Rosa Portella Tondolo, Vilmar Antonio Gonçalves Tondolo, Aléssio Bessa Sarquis

Resumo


As organizações do Terceiro Setor surgiram para suprir necessidades sociais não atendidas plenamente pelo Estado. A relevância das Organizações do Terceiro Setor para a sociedade como um todo destaca o papel fundamental da mobilização dos recursos, a fim de preservar sua sustentabilidade econômica e a manutenção de suas atividades. Nesse sentido, recursos e capacidades são fundamentais nessas organizações, contribuindo para o atendimento de seus processos e objetivos perante a sociedade. Diante disso, este artigo objetiva compreender como a transparência e a prestação de contas contribuem para a mobilização de recursos nas organizações sociais. Para tanto, foi desenvolvida uma pesquisa com abordagem qualitativa-exploratória, que utilizou o estudo de casos múltiplos como delineamento, e a entrevista semiestruturada em profundidade como técnica investigativa. A amostra selecionada foi composta por cinco organizações, situadas no norte do estado do Rio Grande do Sul. Os conceitos teóricos que embasam a pesquisa são Transparência e Prestação de Contas, Mobilização de Recursos e Visão Baseada em Recursos. Como principais resultados, destacam-se: a necessidade das organizações em desenvolverem práticas de transparência de forma mais efetiva, visto que a mobilização de recursos afeta a sustentabilidade organizacional; e, a ligação entre as práticas de transparência desenvolvidas pelas organizações e o nível de mobilização de recursos das organizações sociais.


Palavras-chave


Transparência; Prestação de Contas; Mobilização de Recursos; Terceiro Setor.

Texto completo:

DOI:10.4270/ruc.2017215

Referências


ANHEIER, H. K.; SEIBEL, W. The third sector: Comparative studies of nonprofit organizations. 3. ed. New York: Walter de Gruyter, 1990.

ARMANI, D. Mobilizar para transformar: a mobilização de recursos nas organizações da sociedade civil. 1. ed. São Paulo: Peirópolis, 2008.

BARNEY, J. B. Resource-based theories of competitive advantage: A ten-year retrospective on the resource-based view. Journal of management, Estados Unidos, v. 27, n. 6, p. 643-650, set., 2001.

BARNEY, J. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, Texas, v. 17, n. 1, p. 99-120, mar., 1991.

BISH, A; BECKER, K. Exploring Expectations of Nonprofit Management Capabilities. Nonprofit and Voluntary Sector Quarterly, v. 45, n. 3, p. 437-457, 2016.

BOARD, J.; SUTCLIFFE, C.; WELLS, S. Transparency and Fragmentation: Financial Market Regulation in a Dynamic Environment. London: Palgrave Macmillan, 2002.

BUSHMAN, R.; PITROSKI, J.; SMITH A. What determines corporate transparency? Journal of Accounting Research, Chicago, v. 42, n. 2, p. 207-253, mai. 2004.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DALTO, C. C.; NOSSA, V.; MARTINEZ, A. L. Recursos de convênio entre fundações de apoio e universidades federais no Brasil: um estudo dos acórdãos do Tribunal de Contas da União (TCU). Revista Universo Contábil, v. 10, n. 2, p. 6-23, 2014.

EISENHARDT, K. Building theories from case study research. Academy of Management Review, v.14, n.14, p.532-550, 1989

FLICK, U. Desenho da pesquisa qualitativa. 3. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

______. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

FROELICH, K. A. Diversification of revenue strategies: Evolving resource dependence in nonprofit organizations. Nonprofit and Voluntary Sector Quarterly, v. 28, n. 3, p. 246-268, 1999.

GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

GOUVEIA, T.; DANILIAUSKAS, M. Sustentabilidade das ONGs no Brasil: Acesso a recursos privados. Rio de Janeiro: ABONG, 2010.

GRANT, R. The resource-based theory of competitive advantage: implications for strategy for strategy formulation. California Management Review, v. 33, n. 3, p. 114-135, out. 1991.

GUIMARÃES, J. C. F.; SEVERO, E. A.; DORION, E. C.; OLEA, P. M. Attributes for sustainable competitive advantage of firms in the global market. Australian Journal of Basic and Applied Sciences, v. 9, n. 7, p. 459-468, abr. 2015.

HECKERT, C. R. Qualidade de serviços em organizações do terceiro setor. 150 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia). Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2001

HEENE, A.; SANCHEZ, R. Competence Based Strategic Management. 1. ed. Chichester, England: John Wiley & Sons Ltd, 1997.

HUDSON, M. Administrando organizações do terceiro setor: o desafio de administrar sem receita. Tradução de James F. Sunderland Cook. São Paulo: Makron Books, 1999.

KHIENG, S. Funding mobilization strategies of Nongovernmental organizations in Cambodia. Voluntas: International Journal of Voluntary and Nonprofit Organizations, vol. 25, n. 6, p. 1441-1464, 2014.

LEITE, J. B. D.; PORSSE, M. de C. S. Competição baseada em competências e aprendizagem organizacional: em busca da vantagem competitiva. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 7, n. spe, p. 121-141, 2003.

MILLS, J.; PLATTS, K.; BOURNE, M.; RICHARDS, H. Competing Through Competences. Cambridge: University Press, 2002.

NIETO, M.; PEREZ, W. A firm’s assets as a foundation for strategy. The Learning Organization, v. 9, n. 1, p. 19-28, 2002.

OLAK, P. A.; NASCIMENTO, D. T. Contabilidade para entidades sem fins lucrativos (terceiro setor). 2. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

______. Contabilidade para Entidades sem Fins Lucrativos (Terceiro Setor). 3. ed. São Paulo: Atlas 2010.

PENROSE, E. T. The Theory of the Growth of the Firm. New York: John Wiley. EBook Kindle, 1959.

PEREIRA, M. S.; FORTE, S. H. A. C. Visão baseada em recursos nas instituições de ensino superior de Fortaleza: uma análise ex-ante e ex-post à LDB/ 96. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 12, n. 1, p. 107-129, jan./mar. 2008.

PFEFFER, J.; SALANCIK, G. The external control of organizations: A resource dependence perspective. Stanford: Stanford Business Books, 2003.

PRAHALAD, C.; HAMEL, G. The core competences of the corporation. Harvard Business Review, v. 68, n. 3, p. 79-91, 1990.

ROTHSCHILD, J.; MILOFSKY, C. The centrality of values, passions, and ethics in the nonprofit sector. Nonprofit Management and Leadership, v. 17, n. 2, p. 137-143, 2006.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodologia de Pesquisa. 3. ed. São Paulo: McGraw Hill, 2006.

SILVA, M. E.; BALBINO, D. P. Criando vantagem competitiva sustentável: a responsabilidade socioambiental empresarial à luz da visão baseada em recursos. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 12, n. 1, p. 29-53, jan./mar. 2013.

SRINIVASAN, S. Corporate Transparency Improves For Foreign Firms in U.S. Markets. 2003. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. 2015.

TONDOLO, R. R. P. Desenvolvimento de Capital Social Organizacional em um Projeto Interorganizacional no Terceiro Setor. 2014.0157 f. Tese (Doutorado em Administração). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS. 2014.

TONDOLO, R. R. P.; TONDOLO, V. A. G.; CAMARGO, M. E.; SARQUIS, A. B. Transparência no Terceiro Setor: Uma proposta de construto e mensuração. Espacios Públicos, v. 19, n. 47, p. 7-25, 2016.

TORO J. B.; WERNECK, N. M. D. Mobilização social: um modo de construir a democracia e a participac̨ão. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2007.

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Boas práticas em segurança da informação. Brasília: TCU, 2008.

VALENCIA, L. A. R.; QUEIRUGA, D.; GONZÁLEZ-BENITO, J. Relationship Between Transparency and Efficiency in the Allocation of Funds in Nongovernmental Development Organizations. Voluntas: International Journal of Voluntary and Nonprofit Organizations, v. 26, n. 6, p. 2517-2535, 2015.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.




Locations of visitors to this page

................................................................................................................................................................................................................................................................

Revista Universo Contábil - ISSN 1809-3337
Rua Antonio da Veiga, 140, Sala D-202
CEP 89012-900, Blumenau, SC, Brasil
Tel.: +554733210938 Fax: +554733228818
e-mail: universocontabil@furb.br