TRIDIMENSIONALIDADE DA LINGUAGEM CONTÁBIL EM PUBLICAÇÕES DE PERIÓDICOS CIENTÍFICOS BRASILEIROS

Josilene da Silva Barbosa, Luciana Klein, Romualdo Douglas Colauto, Ilse Maria Beuren

Resumo


A contabilidade, enquanto linguagem do mundo dos negócios, pode ser abordada nas perspectivas sintática, semântica ou pragmática. De modo não explícito, pesquisadores utilizam-se da tridimensionalidade da linguagem contábil para sustentar suas investigações. Este estudo investiga a linguagem contábil adotada na sustentação teórica de publicações em periódicos científicos brasileiros no período 2001-2012, relativas às áreas de Contabilidade para Usuários Externos e de Mercados Financeiro, de Crédito e de Capitais. Para isso, foi realizado um estudo descritivo utilizando Análise de Conteúdo. Os resultados mostram que as linguagens semântica e pragmática se sobressaem à linguagem sintática. Os artigos relacionados à temática Contabilidade para Usuários Externos utilizam mais a abordagem pragmática; e da área de Mercados empregam, principalmente, a abordagem semântica. As pesquisas sobre convergências de normas utilizaram preponderantemente a abordagem sintática, o que se justifica pela necessidade de explicar procedimentos normativos e práticos. As relativas às Finanças Corporativas priorizaram a abordagem semântica, denotando preocupação com o significado das informações produzidas pela contabilidade. As pesquisas sobre temáticas que envolvem o Balanço Social utilizaram mais a abordagem pragmática, com foco na utilidade e reflexos dessas informações no ambiente empresarial. Assim, este estudo contribui na medida em que revela tendências de investigações em temáticas da Contabilidade, particularmente nas áreas focalizadas na análise, quanto aos tipos de abordagem da linguagem utilizada no desenvolvimento dos estudos, propondo uma metodologia que permita classificar os estudos de modo a evidenciar o tipo de abordagem.


Palavras-chave


Contabilidade como linguagem; Sintática; Pragmática; Semântica.

Texto completo:

doi:10.4270/ruc.2014319

Referências


ANTHONY, Robert Newton. Contabilidade gerencial. São Paulo: Atlas, 1972.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 3. ed. Lisboa: Editora 70, 2004.

BEDFORD, Norton M; BALADOUNI, Vahe. A communication theory approach to accounting. The Accounting Review, Sarasota, p. 650-659, 1962. Disponível em: .

BRASIL. Lei n. 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Altera e revoga dispositivos da Lei n. 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei n. 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2013.

BRYMAN, Alan. Social research methods. 3. ed. Oxford University Press, 2008.

CARDOSO, Ricardo Lopes; MENDONÇA NETO, Octávio Ribeiro de; RICCIO, Edson Luiz;

SAKATA, Marici Cristine Gramacho. Pesquisa científica em contabilidade entre 1990 e 2003. Revista de Administração de Empresas, v. 45, n. 2, p. 34-45, abr./jun. 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-75902005000200004

COLAUTO, Romualdo Douglas. Metodologia para evidenciar a influência de accruals no lucro contábil por meio da Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos. 2005, 215f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Santa Catarina, 2005.

COLAUTO, Romualdo Douglas; BEUREN, Ilse Maria. Avaliação do capital intelectual na perspectiva da tridimensionalidade da linguagem contábil. Base (Unisinos), v. 2, n. 2, p. 85-101, 2005.

COLAUTO, Romualdo Douglas; BEUREN, Ilse Maria; MEDINA, Enrique Alfonso Muñoz. La tridimensionalidad del lenguaje contable en la mensuración de activos con énfasis en la evaluación del capital intelectual. Produção Online, v. 5, n. 3, set. 2005. http://dx.doi.org/10.14488/1676-1901.v5i3.357

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CVM). Deliberação CVM nº 647, de 2 de dezembro de 2010. Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 37(R1) do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, que trata da adoção inicial das normas internacionais de contabilidade. Disponível em: . Acesso em: 14 ago. 2013.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CVM). Deliberação CVM nº 651, de 16 de dezembro de 2010. Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 43(R1) do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, que trata da adoção inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 41. Disponível em: . Acesso em: 14 ago. 2013.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR – CAPES. Qualis periódicos. Disponível em: . Acesso em: 09 ago. 2013.

COSTA, Alessandra Cristina Oliveira.; THEÓPHILO, Carlos Renato. Mensuração de ativos: uma discussão sob a ótica da teoria contábil como linguagem. In: ASIAN PACIFIC CONFERENCE ON INTERNATIONAL ACCOUNTING ISSUES, 13., 2001, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: FEA/USP, 2001. CD-ROM.

DIAS FILHO, José Maria. A linguagem utilizada na evidenciação contábil: uma análise de sua compreensibilidade à luz da teoria da comunicação. Revista Contabilidade & Finanças, v. 13, n. 24, p. 38-49, jul./dez. 2000. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-92512000000200003

DIAS FILHO, José Maria. Dimensões semióticas da contabilidade: uma abordagem da teoria da contabilidade. Revista de Contabilidade da UFBA, v. 3, n. 1, p.3 - 4, jan./abr. 2009.

DIAS FILHO, José Maria; NAKAGAWA, Masayuki. Reflexões sobre a dimensão semiótica da análise de balanços: uma contribuição à otimização de decisões de crédito. Revista de Contabilidade da UFBA, v. 6, n. 1, p. 33-47, jan./abr. 2012. http://www.portalseer.ufba.br/index.php/rcontabilidade/article/view/6194.

ETHERIDGE, Harian Lynn. An examination of Semiotic Theories of Accounting Accruals. Unpublished Ph. D. dissertation, Louisiana State University, 1991.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário Aurélio da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

FINANCIAL ACCOUNTING STANDARDS BOARD (FASB). Statement of Financial Accounting Standards nº 4. Impact on corporate risk and insurance management. Stamford, Connecticut, 1980.

GAFFIKIN, Michael. The critique of accounting theory. Accounting & Finance Working Papers, School of Accounting and Finance, University of Wollongong, n. 6/25, p. 1-21, 2006. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2013.

HENDRIKSEN, Eldon. S.; VAN BREDA, Michael. F. Teoria da contabilidade. São Paulo: Atlas, 2010.

IJIRI, Yuji. Theory of accouting measurement. Studies in Accounting Research 10. Sarasota: American Accouting Asociation, 1975.

ILUFI, Oscar Manuel Vergara. Teoria da comunicação e teoria da semiótica: sua incorporação ao processo de formação universitária do contador no Chile. In: CONFERÊNCIA ACADÊMICA PERMANENTE DE PESQUISA EM CONTABILIDADE, 11., 2000, Talca. Anais... Talca, 2000. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2013.

KAM, Vernon. Accouting theory. 2. ed. Califórnia: John Wiley & Sons, 1986.

KILLIAN, Sheila. No accounting for these people: Shell in Ireland and accounting language. Critical Perspectives on Accounting, v. 21, n. 8, p. 711-723, 2010.

LAVOIE, Don. The accounting of interpretations and the interpretation of accounts: The communicative function of “the language of business”. Accounting, Organizations and Society, v. 12, n. 6, p. 579-604, 1987. http://dx.doi.org 10.1016/0361-3682(87)90010-9

LEWANDWSKI, Theodor. Linguistisches waterbuck. 3. ed. Stuttgart: UTB, 1982.

LILLO-MARTIN, D. Sign Language: Syntax, In: Editor-in-Chief: Keith Brown, Editor(s)-in-Chief, Encyclopedia of Language & Linguistics, Second Edition, Elsevier, Oxford, 2006, p. 351-353. http://dx.doi.org/10.1016/B0-08-044854-2/00241-8

MARTINS, Gilberto Antônio; THEÓPHILO, Carlos Renato. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MORRIS, Charles W. Fundamentos da teoria dos signos. Trad. Paulo Alcoforado e Milton José Pinto. Rio de Janeiro, Eldorado Tijuca, São Paulo: Edusp, 1976.

NAKAGAWA, Masayuki; DIAS FILHO, José Maria. A contabilidade sob o enfoque sociológico: uma abordagem das teorias semióticas e da comunicação. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, n. 5, p. 13-22, 2002. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2013.

SANTAELLA, Lúcia. O que é semiótica. 14. ed. São Paulo: Brasiliense, 1998.

SHANNON, Claude; WEAVER, Warren. The mathematical theory of communication. Urbana, Illinois: University of Illinois, 1949.

STAMPER, Ronald K. Towards a theory of information: Mystical fluid or a subject for scientific enquiry? The Computer Journal, v. 28, n. 3, p. 195-199, 1985. http://comjnl.oxfordjournals.org/content/28/3/195.full.pdf.

TEJAY, Gurvirender; DHILLON, Gurpreet; CHIN, Amita Goyal. Data quality dimensions for information systems security: a theoretical exposition (invited paper). Security Management, Integrity, and Internal Control in Information Systems, International Federation for Information Processing (IFIP), v. 193, p. 21-39, 2006. http://dx.doi.org/10.1007/0-387-31167-X_2

THEÓPHILO, Carlos Renato. Uma abordagem epistemológica da pesquisa em contabilidade. 2000. 141f. Dissertação (Mestrado em Controladoria e Contabilidade) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

WERNER, O. Sapir-Whorf Hypothesis. In: ASHER, R.E.; SIMPSON, J.M.Y. (editors.). The encyclopedia of language and linguistics. Oxford: Pergamon Press, 1994. Vol. 7.




DOI: http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2014344-64

Locations of visitors to this page

................................................................................................................................................................................................................................................................

Revista Universo Contábil - ISSN 1809-3337
Rua Antonio da Veiga, 140, Sala D-202
CEP 89012-900, Blumenau, SC, Brasil
Tel.: +554733210938 Fax: +554733228818
e-mail: universocontabil@furb.br