EVIDENCIAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS E ISOMORFISMO: UM ESTUDO COM MINERADORAS BRASILEIRAS

Márcio Santos Sampaio, Sonia Maria da Silva Gomes, Adriano Leal Bruni, José Maria Dias Filho

Resumo


Este estudo investiga a eventual presença de um processo isomórfico entre os relatórios anuais e de sustentabilidade das empresas que exploram a atividade de mineração, verificando até que ponto o volume de evidenciação de informações dessa natureza são semelhantes. Para tanto, estabeleceram-se quatro grupos de indicadores em consonância com os procedimentos fixados pela Norma Brasileira de Contabilidade T-15 e outras recomendações dos Institutos Ethos e Ibase, além das diretrizes estabelecidas pelo Global Reporting Iniciative (GRI) para elaboração dos relatórios anuais e de sustentabilidade. Foram analisados 45 relatórios anuais e de sustentabilidade no período de 2005 a 2009. A técnica estatística utilizada para dar suporte ao tratamento dos dados foi a análise de variância, buscando comparar as médias obtidas para cada item que formava os grupos dos indicadores. Os resultados permitiram verificar um aumento no volume de informações socioambientais no período analisado, o que reforça o pressuposto da Teoria da Legitimidade. Também fornece evidências que permitiram verificar a presença de isomorfismo com relação aos indicadores sociais internos e externos nos relatórios anuais e de sustentabilidade. Não foi possível verificar um processo isomórfico entre os indicadores ambientais e de atendimento às diretrizes do GRI nesses relatórios. Estes resultados apontam para a necessidade de uma maior discussão com relação à regulação da evidenciação de informações socioambientais em busca de uma padronização que possibilite análises mais seguras para processo decisório de investidores e outras partes interessadas.


Palavras-chave


Disclosure Socioambiental; Legitimidade; Empresas Mineradoras, Relatórios de Sustentabilidade.

Texto completo:

doi:10.4270/ruc.2012107

Referências


ADAMS, C. A.; HILL, W.; ROBERTS, C. B. Corporate social reporting practices in Western Europe: legitimating corporate behaviour? British Accounting Review, v. 30, p. 1-21, 1998. http://dx.doi.org/10.1006/bare.1997.0060

AERTS, W.; CORMIER, D. Media legitimacy and corporate environmental communication. Accounting, Organizations and Society, v. 34, p. 1-27. 2009. http://dx.doi.org/10.1016/j.aos.2008.02.005

BEETS, S. D.; SOUTHER, C. C. Corporate environment reports: the need for standards and an environmental assurance service. Accounting Horizons, v. 13, n. 2, p. 129-145. 1999. http://dx.doi.org/10.2308/acch.1999.13.2.129

BROWN, N.; DEEGAN, C. The public disclosure of environmental performance information: a dual test of media agenda setting theory and legitimacy theory. Accounting and Business Research, v. 29, n. 1, p. 21-41. 1999.

BRUNI, A. L. SPSS aplicado à pesquisa acadêmica. São Paulo: Atlas, 2009.

CHO, C. H; PATTEN, D. M. The role of environmental disclosures as tools of legitimacy: a research note. Accounting, Organizations and Society. Vol. 32, p. 639-647. 2007. http://dx.doi.org/10.1016/j.aos.2006.09.009

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE (CFC). Resolução CFC 1.003 de 19.08.2004. NBC T 15. Informações de natureza social e ambiental. Disponível em: < http://www.cfc.org.br/sisweb/sre/Default.aspx> Acesso em: 02 jul. 2010.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE (CFC). Resolução CFC 1.121 de 28.03.2008. Estrutura conceitual para elaboração e apresentação das demonstrações contábeis. Disponível em: < http://www.cfc.org.br/sisweb/sre/Default.aspx> Acesso em: 02 jul. 2010.

CLARKSON, P. M. et al. Revisiting the relation between environmental performance and environmental disclosure: an empirical analysis. Accounting, Organizations and Society, v. 33, p. 303-327. 2008. http://dx.doi.org/10.1016/j.aos.2007.05.003

CINTRA, Y. A integração da sustentabilidade às práticas de controle gerencial das empresas no Brasil. 2011. 200 f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) - Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade, Universidade de São Paulo (USP), 2011.

DEEGAN, C.; BLOMQUIST, C. Stakeholder influence on corporate reporting: An exploration of the interaction between WWF-Australia and the Australian minerals industry. Accounting, Organizations and Society, v. 31, p. 343-372. 2006. http://dx.doi.org/10.1016/j.aos.2005.04.001

DEEGAN, C.; GORDON, B. A study of the environmental disclosures practices of Australian corporations. Accounting and Business Research, v. 26, n. 3, p. 187-199. 1996.

DEEGAN, C.; RANKIN, M. Do Australian companies report environmental news objectively? An analysis of environmental disclosure by firms prosecuted successfully by the environmental protection authority. Accounting, Auditing e Accountability Journal, v. 9. p. 50-67. 1996. http://dx.doi.org/10.1108/09513579610116358

DEEGAN, C.; RANKIN, M. The environmental reporting expectations gap: Australian evidence. British Accounting Review, v. 31, p. 313-346. 1999. http://dx.doi.org/10.1006/bare.1999.0102

DIAS FILHO, J. M. Novos Delineamentos teóricos em contabilidade. In: RIBEIRO FILHO, J.F.R.; LOPES, J.; PEDERNEIRAS, M. (Org.). Estudando Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2009.

DIAS FILHO, J. M.; MACHADO, L. H. B. Abordagens da pesquisa em contabilidade. In: IUDÍCIBUS, S.; LOPES, A.B. Teoria avançada da contabilidade. São Paulo: Atlas, 2008.

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. The iron cage revisited: institutional isomorphism and collective rationality in organizational fields. American Sociological Review, v. 48, p. 147-160, April, 1983. http://dx.doi.org/10.2307/2095101

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. The new institutionalism in organizational analysis. Chicago: The University of Chicago Press, 1991.

DOWLING, J; PFEFFER, J. Organizational legitimacy: social values and organizational behavior. Pacific Sociological Review, v. 18, p. 122-136. 1975.

EXAME. As 1000 maiores empresas do Brasil. Exame Melhores e Maiores. 2009. Disponível em: Acesso em: 27.06.2010.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando o SPSS. 2 ed. São Paulo: Artmed, 2009.

GIBSON, R.; GUTHRIE, J. Recent environmental disclosures in annual reports of Australian public and private sector organizations. Accounting Forum, v. 19, n. 2/3, p.111-127, 1995.

GRAY, R. Accounting and environmentalism: an exploration of the challenge of gently accounting for accountability, transparency and sustainability. Accounting, Organizations and Society, v. 17, n. 5, p. 399-426. 1992. http://dx.doi.org/10.1016/0361-3682(92)90038-T

GRAY, R. et al. Corporate social and environmental reporting: a review of the literature and a longitudinal study of UK disclosure. Accounting, Auditing and Accountability Journal, v. 8, p. 47-77. 1996. http://dx.doi.org/10.1108/09513579510146996

GRAY, R.; BEBBINGTON, J.; WALTERS, D. Accounting for the environment. London: Paul Chapman in Association with the Chartered Association of Certified Accountants. 1993.

GRAY, R.; WALTERS, D; BEBBINGTON, J. The greening of enterprise: An exploration of the (non) role of environmental accounting and environmental accountants in organizational change. Critical Perspectives on Accounting, v. 6, p. 211-239. 1995. http://dx.doi.org/10.1006/cpac.1995.1021

GLOBAL REPORTING INICIATIVE (GRI). Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade. Disponível em Acesso em: 04.07.2010.

HACKSTON, D.; MILNE, M. J. Some determinants of social and environmental disclosures in New Zealand companies. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 9, n. 1, p. 77-108. 1996. http://dx.doi.org/10.1108/09513579610109987

HENDRIKSEN, E. S.; VAN BREDA, M. F. Teoria da Contabilidade. Tradução de Antônio Zoratto Sanvicente. São Paulo: Atlas, 2007.

HOPWOOD, A. G. Accounting and Environment. Accounting, Organizations and Society, v. 34, p. 433-439. 2009. http://dx.doi.org/10.1016/j.aos.2009.03.002

HOPWOOD, A. G.; MILLER, P. Accounting as social and institutional practice. New York: Cambridge University Press, 1994.

ETHOS. Instituto Ethos de Empresas de Responsabilidade Social. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2010.

IBASE. Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2010.

LINDBLOM, C. The implications of organizational legitimacy for corporate social performance and disclosure. Paper presented at the Critical Perspectives on Accounting Conference, New York, 1994.

MATHEWS, M. R. Socially responsible accounting. London: Chapman and Hall, 1993.

MEYER, J.; ROWAN, B. Institutionalized organizations: formal structure as myth and cerimony. American Journal of Sociology, 1977. http://dx.doi.org/10.1086/226550

MOURA, F. V. Pressões institucionais e o isomorfismo estrutural e contábil dos relatórios de administração publicados por empresas dos subsetores de energia elétrica e de transporte. 2010. 126 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Universidade Federal da Bahia - UFBA, 2010.

NASCIMENTO, A. R. et al. Disclosure Social e Ambiental: análises das pesquisas científicas veiculadas em periódicos de língua inglesa. Revista Contabilidade Vista & Revista. Universidade Federal de Minas Gerais, v. 20, n. 1, p. 15-40. 2009.

NOSSA, V. Disclosure ambiental: uma análise do conteúdo dos relatórios ambientais de empresas do setor de celulose em nível internacional. 2002. 249f. Tese (Doutorado em Controladoria e Contabilidade) – Universidade de São Paulo - USP, 2002.

PATTEN, D. M. Intra-industry environmental disclosures in response to the alaskan oil spill: a note on legitimacy theory. Accounting, Organizations and Society, v. 15, n. 5, p. 471-475. 1992. http://dx.doi.org/10.1016/0361-3682(92)90042-Q

TOLBERT, P. S.; ZUCKER, L. G. A institucionalização da teoria institucional in CALDAS, M.; FACHIN, R.; FISHER, T. (org.). Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1999. Vol. 1.




DOI: http://dx.doi.org/10.4270/ruc.20128

Locations of visitors to this page

................................................................................................................................................................................................................................................................

Revista Universo Contábil - ISSN 1809-3337
Rua Antonio da Veiga, 140, Sala D-202
CEP 89012-900, Blumenau, SC, Brasil
Tel.: +554733210938 Fax: +554733228818
e-mail: universocontabil@furb.br