A INFLUÊNCIA DO GÊNERO, IDADE E FORMAÇÃO NA PRESENÇA DE HEURÍSTICAS EM DECISÕES DE ORÇAMENTO: UM ESTUDO QUASE-EXPERIMENTAL

Raimundo Nonato Lima Filho, Adriano Leal Bruni, Márcio Santos Sampaio

Resumo


Este estudo objetiva medir possíveis correlações entre as variáveis idade, gênero e formação e a existência de vieses cognitivos em decisões relacionadas ao orçamento. Os conceitos desenvolvidos por Kahneman e Tversky acerca das heurísticas foram utilizados como suporte teórico para fundamentação desta pesquisa. Para cumprir os objetivos estabelecidos por este estudo construíram-se cenários com um ambiente de incerteza e forneceu-se um número limitado de informações contábeis e financeiras para verificação de tal correlação. A construção desses cenários visou observar a ocorrência das heurísticas de ancoragem, representatividade e disponibilidade de instâncias e a correlação com as variáveis gênero, idade e formação acadêmica. A técnica estatística utilizada para tratamento dos dados foi a regressão logística por possibilitar a explicação de valores em função de valores conhecidos ou variáveis independentes. Os resultados encontrados confirmam a ocorrência de heurísticas em todas as perspectivas, mas somente na variável gênero esta relação demonstrou-se significativa. Evidenciou-se neste estudo, a importância da discussão acerca da Contabilidade Comportamental, para que seu desenvolvimento possa fazer com que sejam resolvidos problemas que incidem em decisões gerenciais, quando não notados os aspectos cognitivos e psicológicos de quem efetivamente toma decisão.


Palavras-chave


Contabilidade Comportamental; heurísticas, práticas orçamentárias.

Texto completo:

doi:10.4270/ruc.2012215

Referências


ALMEIDA, L.B; PARISE, C; PEREIRA, C.A. Controladoria. In: CATELLI, A. (coord.). Controladoria: uma abordagem da gestão econômica GECON. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2001.

BEUREN, I.M.; SOUZA, J.C. Em busca de um delineamento de proposta para classificação dos periódicos internacionais de contabilidade para o Qualis CAPES. Revista Contabilidade & Finanças, USP, São Paulo, v. 19, n. 46, jan./abr., 44-58, 2008. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772008000100005

BONNER, S.; HESFORD, A.; VAN DER STEDE, W.; YOUNG, S. M. The most influential journals in academic accounting. Accounting Organizations and Society. v. 31, n. 7, 663-685, Oct., 2006. http://dx.doi.org/10.1016/j.aos.2005.06.003

BUSS, D.M. Evolutionary psychology: a new paradigm for psychological science. Psychological Inquiry, v. 6, p. 1-30, 1995. http://dx.doi.org/10.1207/s15327965pli0601_1

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2003.

COVALESKI, M.A; EVANS III, J.H; LUFT, J.L; SHIELDS, M.D. Budgeting research: three theoretical perspectives and criteria for selective integration. Journal of Management Accounting Research, p. 2-49, 2003. http://dx.doi.org/10.2308/jmar.2003.15.1.3

DUNBAR, R.L.M. Budgeting for control. Administrative Science Quarterly, v. 16, n. 1, p. 88-96, 1971. http://dx.doi.org/10.2307/2391292

EDWARDS, W; FASOLO, B. Decision technology. Annu. Rev. Psychol, v. 52, p. 581-606, 2001. http://dx.doi.org/10.1146/annurev.psych.52.1.581

ELLIOTT, W.B.; HODGE, F.; KENNEDY, J.; PRONK, M. Are MBA students a good proxy for nonprofessional investors? The Accounting Review, p. 139-168, Jan., 2007. http://dx.doi.org/10.2308/accr.2007.82.1.139

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GLOVER, S.M.; PRAWITT, D.F.; WOOD, D.A. Publication records of faculty promoted at the top 75 accounting research programs. Issues in Accounting Education. v. 21, n. 3, p. 195-218, Aug., 2006.

HAIR, J.; ANDERSON, R.; TATHAM, R.; BLACK, W. Multivariate Data Analysis. 5. ed. Upper Saddle River: Prentice-Hall, 1998.

HALPERN, D.F. Sex differences and cognitive abilities. Mahwah, NJ: Erlbaum, 2000.

HANSEN, D. E.; HELGESON, J. G. The effects of statistical training on choice heuristics in choice under uncertainty. Journal of Behavior Decision Making, v. 9, p. 41-57, 1996. http://dx.doi.org/10.1002/(SICI)1099-0771(199603)9:1%3C41::AID-BDM209%3E3.0.CO;2-B

JOB, R.F. The application of learning theory to driving confidence: the effect of age and the impact of random breath testing. Accident Analysis and Prevention, v. 22, n. 2, p. 97-107, 1990. http://dx.doi.org/10.1016/0001-4575(90)90061-O

KAHNEMAN, D.; RIEPE, M.W. Aspects of investor psychology. Journal of Portfólio Management, v. 24, p. 52-65, 1998. http://dx.doi.org/10.3905/jpm.1998.409643

KAHNEMAN, D.; TVERSKY, A. Prospect Theory: an analysis of decision under risk. Econometrica, v. 47, p. 263-291, 1979. http://dx.doi.org/10.2307/1914185

KANITZ, S. C. Controladoria: teoria e estudos de caso. São Paulo: Pioneira, 1976.

LIYANARACHCHI, G.A.; MILNE, M.J. Comparing the investment decisions of accounting practitioners and students: an empirical study on the adequacy of student surrogates. Accounting Forum, v. 29, p. 121-35, 2005. http://dx.doi.org/10.1016/j.accfor.2004.05.001

MACEDO, G.M.F. Bases para a implantação de um Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos – GED: estudo de caso. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia da Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, 2003. Disponível em: Acesso em: 22 nov. 2009.

MEYER, J. P.; ALLEN, N.J. Testing the side-bets theory of organizational commitment: some methodological considerations. Journal of Applied Psychology, v. 69, p. 372-378, 1983. http://dx.doi.org/10.1037/0021-9010.69.3.372

MILANEZ, F. Desenvolvimento Sustentável. In: CATTANI, A.D. (org.). A outra economia. Porto Alegre: Veraz Editores, 2003.

MORGAN, G. Imagens da organização. São Paulo: Atlas, 1996.

MOSIMANN, C.P; FISCH, S. Controladoria: seu papel na administração de empresas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

NAKAGAWA, M. Gestão estratégica de custos: conceito, sistemas e implementação. São Paulo: Atlas, 1993.

NASCIMENTO, A.M.; REGINATO, L. Controladoria: um enfoque na eficácia organizacional. São Paulo: Atlas, 2007.

PLOUS, S. The psychology of judgment and decision making. New York: McGraw-Hill, 1993.

POHL, R.F. Empirical tests of the Recognition Heuristic. Journal of Behavior Decision Making, v. 19, n. 3, p. 251-271, 2006. http://dx.doi.org/10.1002/bdm.522

SHIMIZU. T. Decisão nas organizações: introdução aos problemas de decisão encontrados nas organizações e nos sistemas de apoio à decisão. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2006.

SIMON, H.A. Rational choice and the structure of environments. Psychological Review, v. 63, p. 129-138, 1965. http://dx.doi.org/10.1037/h0042769

SIMON, H.A. Comportamento administrativo: estudo dos processos decisórios nas organizações administrativas. 3. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas. 1979.

SMITH, D.E. Institutional ethnography: a sociology for people. Walnut Creek, CA: AltaMira Press, 2005.

TVERSKY, A; KAHNEMAN, D. Judgment under uncertainty: Heuristics and biases. Science, v. 185, p. 1124-1131, 1974. http://dx.doi.org/10.1126/science.185.4157.1124

ZINDEL, M.T.L. Finanças comportamentais: o viés cognitivo excesso de confiança em investidores e sua relação com as bases biológicas. 174 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia da Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.




Locations of visitors to this page

................................................................................................................................................................................................................................................................

Revista Universo Contábil - ISSN 1809-3337
Rua Antonio da Veiga, 140, Sala D-202
CEP 89012-900, Blumenau, SC, Brasil
Tel.: +554733210938 Fax: +554733228818
e-mail: universocontabil@furb.br