Liderança e Programas de Recompensas: limites e possibilidades.

Dione Fagundes Nunes Gomes, Maria Cristina Sanches Amorim

Resumo


As várias teorias sobre liderança convergem para a importância da motivação enquanto atribuição do líder. Há dois modelos de motivação: extrínseca e intrínseca. Embora ambos tratem de recompensa, a forma de atuação ocorre de maneira distinta. Objetiva-se analisar os limites e possibilidades dos programas de recompensa utilizados pelas lideranças nas organizações. Para os autores não behavioristas, as recompensas extrínsecas traduzem-se em formas de manipulação e suborno a favor dos interesses de quem detém o poder. Para os behavioristas, a organização de sistemas de recompensas extrínsecas e intrínsecas é a forma privilegiada de motivar, devendo ser utilizada pelo líder. Nossa reflexão aponta para as possibilidades de uso equilibrado e planejado tanto das recompensas intrínsecas como das extrínsecas, tendo em vista o contexto, os objetivos e a duração do grupo. Utilizamos como metodologia o estudo de autores muito trabalhados em cursos de graduação em administração, tendo em vista situar nossa contribuição precisamente para a leitura crítica desse público.

Palavras-chave


Gestão de pessoas; liderança; programas de recompensas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7867/1980-4431.2008v13n3p26-36

Diretórios



Indexadores

http://diadorim.ibict.br
http://pkp.sfu.ca/node/3747

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.