A REINVENÇÃO DO OFÍCIO DE CRIANÇA E DE ALUNO

Manuel Jacinto Sarmento

Resumo


Em tempos de incerteza e de transformação social, a condição infantil encontra-se em mudança. Mudança da “normatividade” que se constituiu na modernidade ocidental; mudança nas imagens e representações sociais sobre as crianças e a infância; mudanças nas práticas sociais das crianças e dos adultos e dos padrões de interacção entre ambos; mudanças no estatuto da infância face às famílias, à escola, às instituições. A teorização da mudança da condição social da infância tem sido realizada tomando, frequentemente, por ponto de partida os efeitos das tecnologias de informação e comunicação. Em boa parte, o tema da “morte da infância” é explicado pelos efeitos nas crianças dos media modernos. Neste texto, rejeita-se o determinismo tecnológico como causa explicativa e equacionam-se as mudanças à luz das transformações societais, com especial incidência na escola. Consideram-se, sobretudo, as práticas sociais das crianças na mudança da própria infância contemporânea. Utilizando os conceitos de “ofício de criança” e de “ofício de aluno”, interrogam-se os modos como as tecnologias de informação e comunicação – e, em especial, a internet - mais do que induzirem mudanças, se integram nos processos de reconfiguração do estatuto da infância, pelas práticas sociais das crianças.  


Palavras-chave


sociologia da infância

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2011v6n3p581-602